Adão de Carvalho Júnior foi preso após suspeita de matar sua companheira, Bruna Aparecida Rodrigues Pediani, uma Mulher de 30 anos. O homem foi preso após o cumprimento de um mandado de prisão preventiva em seu desfavor. Ele era o principal suspeito de cometer o crime e, assim que executado o mandado, ele confessou que matou a ex-esposa.

Adão revelou que ficou com ciúmes de Bruna ao vê-la traindo com um outro colega. Ele alegou também que os três estavam em casa e consumiam crack.

Homem preso confessa que matou esposa após uso de drogas e traição

Para a Polícia Civil de São Paulo, o homem disse que ele, a esposa e um outro amigo consumiam drogas em casa.

Em determinado momento, o crack acabou e o colega saiu para comprar mais drogas.

Não satisfeitos com a quantidade de crack consumida, os três decidiram adquirir mais entorpecentes. Desta vez, quem saiu de casa para fazer a aquisição foi Adão.

Em seu depoimento ele contou que, ao chegar em casa, viu sua esposa o traindo com o amigo. Fora de controle, o homem então, matou a mulher. Adão disse que aplicou um "mata-leão" na esposa e lhe desferiu uma facada no peito.

Suspeito dá detalhes do crime

Adão, que foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) do município de Praia Grande, no litoral de São Paulo, já estava desaparecido desde que o corpo de Bruna foi encontrado sem vida pela Polícia, no dia 1º de fevereiro. Entretanto, acredita-se que o crime tenha acontecido em 28 de janeiro, no dia em que a mulher foi considerada desaparecida.

Adão ficou 21 dias foragido, desde que o mandado de prisão preventiva em seu desfavor foi emitido pela Justiça. A PM descobriu que ele estava morando uma uma residência em Itanhaém. Ele foi preso no domingo, quando foi a Praia Grande e aguardava carona para chegar até o município de Mogi Mirim, onde aconteceu o crime.

Um dos detalhes passados por Adão foi indicar o excesso de drogas consumidas na noite do crime.

Assim que ele voltou, após comprar mais crack para consumo dos três, ele flagrou a esposa junto do colega. Após a facada que foi desferida contra o peito de Bruna, ele fugiu do flagrante, mas deixou a arma do crime ainda no peito da ex-mulher.

Com a confissão do crime, Adão, que já estava preso, permaneceu detido na mesma unidade (CDP de Praia Grande).

Ele ficará à disposição da Justiça a partir de agora.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!