Um homem é suspeito de ter matado a ex-Mulher no último domingo (31) e depois se suicidado. O caso aconteceu na região do Paranoá, no Distrito Federal. De acordo com a Polícia Militar, a vítima nunca fez qualquer registro de ocorrência relatando agressão ou ameaça por parte do ex.

Entretanto, três dias antes do assassinado, Matheus Galheno gravou um vídeo no qual ofendia e ameaçava Isabella Borges após tê-la encontrado na rua com um novo companheiro.

No vídeo o assassino profere palavras de baixo calão contra Isabela. Em resposta, a moça o chama de babaca e diz que ele precisa parar de ser ridículo. Na sequência, o ex-companheiro ameaça a bater na cara dela e mais uma vez profere palavras de baixo calão.

De acordo com a família da vítima, Isabella manteve um relacionamento de pouco mais de dois anos com Matheus. Porém, o casal havia se separado a cerca de um mês.

Irmã da vítima presta depoimento à polícia

Durante o depoimento, a irmã de Isabella revelou que no momento em que Matheus invadiu a casa ele estava armado e Isabella estava com os bebês gêmeos no colo. Quando Isabella viu Matheus armado ela gritou para sua irmã que seria morta por ele na frente dos próprios filhos.

A vítima chegou a abraçar os dois bebês para tentar evitar que o agressor cometesse o homicídio.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Curiosidades

Porém, o ex-companheiro disse que a arma já estava engatilhada e exigiu que a irmã de Isabella levasse os filhos para outro local da casa.

A irmã relatou que levou um dos bebês e quando estava no outro cômodo escutou dois disparos. Isabella e a outra criança estava caídas no chão. Matheus também estava ferido, mas naquele momento ele ainda respirava.

Esse já é o 7º caso de feminicídio que foi registrado no DF neste ano.

Delegada faz alerta a todas mulheres agredidas

Jane Klébia é a delegada titular da 6ª Delegacia de Polícia e é a responsável por investigar o assassinato de Isabella. A delegada recomenda que as mulheres registrem qualquer tipo de ameaça que receberem.

Jane afirma que quando a mulher se submete as agressões e continuam a insistir em um relacionamento em que são agredidas, uma hora ou outra a agressão verbal pode passar para agressão física e aquilo que era apenas um chute ou tapa pode acabar se tornando mais um crime de feminicídio como ocorreu no caso de Isabella.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo