Nesta quarta-feira (26), um mototaxista da região de Niterói foi conduzido para prestar depoimento na Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo. A Polícia teria recebido a informação de que uma neta da deputada Flordelis teria sido levada pelo mototaxista a uma praia, onde a jovem teria jogado um celular ao mar. A praia ficaria a cerca de oito quilômetros da residência da família e a polícia investiga se o celular pertence a Flávio dos Santos, filho da deputada e suspeito de executar o pastor Anderson do Carmo.

De acordo com a polícia, a ação teria sido realizada no último dia 18, mesma data em que a equipe da Delegacia de Homicídios teria cumprido mandado de busca e apreensão na casa onde ocorreu o assassinato do pastor.

Mototaxista prestou depoimento

De acordo com o Jornal Extra, o mototaxista foi ouvido pela polícia nesta quarta-feira (25). A neta de Flordelis já teria prestado depoimento. Na última segunda-feira (24), a polícia apreendeu cerca de 20 aparelhos celulares pertencentes a todas as pessoas que estavam presentes na casa no dia do crime. Em análise de um dos aparelhos, a polícia constatou que o celular de Anderson do Carmo foi usado horas após a sua morte. O aparelho celular do pastor segue desaparecido. Em entrevista coletiva concedida pela deputada nesta terça-feira (26), a mesma afirmou não ter conhecimento sobre o paradeiro do aparelho e pediu para que, se alguém soubesse da localização do mesmo, o entregasse às autoridades.

Após a morte de Anderson, no último dia 16, em Niterói, o celular teria sido repassado a um de seus filhos, porém, não foi encontrado pela polícia até o momento.

A delegada Bárbara Lomba, titular da Delegacia de Homicídios de Niterói e responsável pelas investigações, determinou que o caso corra sob sigilo, após vazamento de informações. Os dois filhos do casal, Flávio dos Santos e Lucas dos Santos, permanecem presos sob suspeita de terem cometido o assassinato.

Mensagens enviadas pelo celular do pastor

Segundo o site G1, ao menos duas mensagens foram enviadas do aparelho celular de Anderson do Carmo após sua morte.

A reportagem teve acesso ao conteúdo das mensagens que teriam sido enviadas a um grupo de amigos. As mensagens teriam sido enviadas entre os horários de 9h e 10h de domingo (16), horas após a morte do pastor, ocorrida na madrugada. Em uma das mensagens enviadas do celular do pastor, a pessoa se identifica como um de seus filhos. No texto, a pessoa pede orações e confirma as notícias sobre a morte de Anderson: "Infelizmente as notícias são verdades".

A polícia supõe que o autor das mensagens tinha o intuito de informar sobre a morte do pastor e revela ainda que já tem conhecimento de sua identidade, que, por enquanto, será mantida em sigilo.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Relacionamento
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!