O advogado Ângelo Máximo, que representa a família do pastor Anderson do Carmo, morto em casa no último dia 16 de junho, em Niterói, entrará com pedido de investigação acerca das supostas tentativas de envenenamento sofridas pelo pastor antes de seu assassinato. O pedido será feito à delegada Bárbara Lomba, titular da Delegacia de Homicídios de Niterói (DHNSG), que está à frente do caso. Ângelo deseja que a Polícia investigue o homicídio tentado contra Anderson do Carmo.

O advogado se baseia nos depoimentos da mãe e de um filho do pastor, que afirmaram que ele havia reclamado de passar muito mal após realizar refeições em casa ou tomar medicamentos administrados pela esposa, a deputada federal Flordelis, e também, por outros de seus filhos.

Pastor estaria sofrendo atentados

De acordo com o jornal O Dia, o advogado Ângelo Máximo, representante da mãe e da irmã de Anderson do Carmo, respectivamente Maria Edna Virgínio do Carmo e Michele do Carmo, afirma que o pastor já se queixava de episódios de mal-estar porque estariam tentando tirar sua vida.

Máximo também revelou que o pastor já vinha sofrendo atentados através de tentativas de envenenamento e afirmou que toda substância química que pode causar lesões ao organismo é envenenamento.

O advogado afirmou, ainda, que pedirá à delegada responsável pelo caso que investigue o que foi dito em depoimento pelos familiares do pastor. Ângelo foi enfático ao dizer que de fato houve uma tentativa de homicídio a Anderson, que não se consumou por vontade alheia de seus algozes.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Relacionamento

A assessoria de imprensa de Flordelis afirmou que o caso já foi esclarecido pela deputada, que revelou que os medicamentos administrados eram devido às crises de ansiedade que o marido possuía, e que exames feitos recentemente pelo pastor poderiam confirmar a veracidade dessa informação.

Mãe de Anderson prestou depoimento

Na última quarta-feira (24), Maria Edna, mãe de Anderson do Carmo, prestou depoimento à polícia por cerca de 3 horas.

A mãe do pastor, que mora no interior de São Paulo, afirmou que Flordelis não seria mais sua nora. Maria Edna revelou que após a morte do filho, não recebeu auxílio algum da deputada, e sequer teria sido procurada para conversar a respeito do ocorrido. No dia 21 de julho, foi realizado um ato para homenagear o pastor Anderson do Carmo em São Gonçalo, Rio de Janeiro, ato este que Flordelis não compareceu.

A deputada se justificou através nas redes sociais e afirmou que não teria comparecido pelo motivo de estarem usando sua imagem de maneira errada e se aproveitando de seu sofrimento. Flordelis afirmou que também esperava que a justiça fosse feita neste caso.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo