O prefeito de Uruburetama (CE), José Hilson Paiva, é suspeito de ter cometido vários abusos durante décadas. Paiva, além de prefeito é ginecologista e atendia no hospital da cidade e também em seu consultório. Mulheres que já realizaram exames com o médico relataram ter sofrido abusos sexuais durante a realização dos exames.

O portal G1 afirmou que teve acesso a cerca de 63 vídeos que foram gravados pelo próprio médico abusando das mulheres.

Em um dos vídeos, segundo o G1, Paiva aparece colocando a boca nos seios das pacientes, alegando que estava realizando um procedimento médico para retirar secreções, e penetrava as vítimas, alegando que era um procedimento que precisava ser realizado para "desvirar" o útero delas.

Profissionais e especialistas assistiram aos vídeos e disseram que em momento algum Paiva realizou procedimentos ginecológicos.

Segundo profissionais da Associação Médica Brasileira (AMB) consultados pelo G1, Hilson Paiva agiu como um monstro e as imagens mostram claramente que as mulheres estão sendo abusadas.

Algumas vítimas que afirmaram ter sido abusadas pelo médico já foram ouvidas pelo Ministério Público (MP). Paiva se manifestou alegando que as práticas não eram forçadas e que a oposição estava tentando derrubá-lo.

Os supostos casos de abusos cometidos pelo médico vêm sendo denunciados desde 1980, mas não houve nenhuma condenação.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Algumas vítimas disseram que não o denunciavam para não perder os empregos oferecidos pela prefeitura. Umas das vítimas disse que nunca tinha realizado um exame ginecológico, por isso não tinha ideia de como era realizado o procedimento, então fazia tudo que o médico pedia, acreditando que ele estava realizando um exame médico.

O médico, que tem 70 anos, trabalha há muito tempo no hospital da cidade e é político. Foi eleito prefeito de Uruburetama em 2016, com 76% dos votos.

Paiva era visto pelo povo como uma pessoa boa

As mulheres que afirmam ter sido vítimas do médico disseram ao G1 que apesar de Paiva ser o único ginecologista da cidade, ele também tinha uma boa reputação, pois todos viam-no como uma pessoa boa.

Uma mulher relatou ao G1 que havia sido abusada pelo ginecologista quando tinha 14 anos. Agora maior de idade, ela afirmou que nunca havia conversado com ninguém sobre o assunto e que sempre voltava a realizar os exames com ele, pelo fato de que Paiva era o único ginecologista da cidade.

Ela afirmou que assim que entrava na sala, o médico trancava a porta e pedia para tirar a roupa e depois ele ficava tocando seu corpo, nos seios e encostava seu pênis nela.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo