Em acordo assinado nesta última segunda-feira (15) com o Ministério Público do Trabalho (MPT), a Vale se comprometeu em pagar indenizações no valor de R$ 700 mil aos familiares de funcionários da mineradora que morreram com o rompimento da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho, Minas Gerais. Conforme o acordo, o valor será distribuído da seguinte forma: R$ 500 mil para reparo de danos morais e R$ 200 mil como seguro por acidente de trabalho.

Benefícios

As famílias dos trabalhadores falecidos também terão direito a uma pensão, cujo valor será de acordo com o salário que os funcionários recebiam. O recebimento será até o ano em que os falecidos completariam 75 anos.

A Vale ainda arcará com as seguintes responsabilidades: estabilidade de emprego por três anos para os funcionários terceirizados que trabalhavam no local no dia do desastre, a contar a partir do dia 25 de janeiro de 2019; pagamento de auxílio-creche para filhos com até 3 anos, no valor de R$ 920 mensais; pagamento de auxílio-educação para filhos até 25 anos, no valor de R$ 998 mensais; plano médico aos familiares dos trabalhadores terceirizados; além de atendimento psicológico em rede credenciada.

A Vale também deverá realizar reparos das consequências causadas pelo rompimento da barragem com relação à captação da água que abastece os municípios da região.

Outras medidas

O Ministério Público de Minas Gerais ainda move ações e inquéritos contra a mineradora. Essas medidas estão relacionadas aos impactos causados pela tragédia ao meio ambiente, aos direitos humanos e à estrutura da região destruída.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
WhatsApp

Segundo a Defesa Civil, o rompimento da barragem causou 248 mortos e 22 pessoas ainda estão desaparecidas. Conforme informação do próprio site da Vale, a empresa depositará no próximo dia 6 o valor de R$ 400 mil referente a dano moral coletivo.

Acordos individuais

Antes da mineradora e o Ministério Público do Trabalho firmarem o acordo, famílias já haviam negociado com a empresa. Mesmo tendo fechado acordos individuais, elas terão direito a um acréscimo para completar o valor determinado no acordo entre a Vale e o Ministério do Trabalho.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo