A Polícia Civil de Bariri, no interior de São Paulo, conseguiu encontrar o corpo da jovem Mariana Forti Bazza, de 19 anos, que estava desaparecida desde a manhã do último dia 24. Segundo a polícia, Rodrigo Pereira Alves, preso em Jaú por suspeita de envolvimento no crime, confessou o crime e falou para os investigadores onde estava o corpo.

Comandados pelo delegado Durval Izar Neto, policiais foram até o local descrito pelo suspeito e encontraram o corpo de Mariana próximo da rodovia José Cesário de Castilho, a cerca de 60 km de Bariri, no município de Ibitinga.

A família da jovem, ao saber da confissão de Rodrigo, ficou desesperada, e o pai, Airton Bazza, aos prantos, disse que naquele momento a vida dele tinha acabado.

Airton e o namorado de Mariana, Jeferson Viana, foram juntos com a polícia até o local. Entretanto, foram orientados a não chegarem perto do corpo. A vítima estava de bruços, com as mãos amarradas para trás, com os olhos vendados e amordaçado.

Ao saber da confissão do suspeito, a esperança da família acabou se transformando em desespero.

De acordo com informações publicadas no portal UOL, a mãe da vítima, Marlene Aparecida Forti Bazza, precisou ser sedada e hospitalizada ao saber da notícia. Minha mulher está desesperada, minha vida acabou, ele matou minha filha, meu anjo. Ele acabou com a nossa vida", disse o pai da vítima.

Suspeito falou em abuso

O delegado Marcílio Frederice de Mello, que ajuda a auxiliar Durval Izar, comentou que foi encontrado uma faca embaixo do banco do carro, no entanto, não foram constatadas marcas de sangue.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

A perícia é que vai afirmar com detalhes como a jovem foi morta. Acredita-se que a faca foi mais para intimidá-la.

O delegado também não pôde dizer com certeza se houve agressão, já que o corpo estava em um estado difícil de ser apurado. Por essa razão, ele aguarda o resultado dos laudos.

Investigadores também disseram, segundo a matéria, que Rodrigo teria revelado que matou a jovem na chácara, onde estava trabalhando.

Ele afirmou que houve abuso sexual, mas depois, mudou seu depoimento e disse que não cometeu o abuso e que uma terceira pessoa teria causado a morte dela.

Contudo, o delegado Marcílio Frederice disse que a polícia já tem várias provas e que tem quase certeza de que ele agiu sozinho. Câmeras de segurança, por exemplo, registraram movimentos de Rodrigo nos locais onde o carro da jovem foi encontrado, a aproximadamente 20 minutos de onde o corpo estava.

O delegado ainda disse que após os laudos e a perícia, muitas questões serão respondidas e o crime poderá ser totalmente desvendado fundamentando ainda mais a acusação.

Velório

O velório estava marcado para ocorrer no final da noite de quarta-feira (25) e, em decorrência do estado de decomposição do corpo, já de manhã, no dia 26, será feito o enterro.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo