Uma Mulher de 24 anos estava em um carro com o marido e a filha recém-nascida, de apenas 30 dias de vida. O casal começou a discutir após os dois terem feito uso de cocaína e bebida alcoólica. No meio da discussão, a mulher pulou do carro em movimento com a bebê nos braços. O episódio aconteceu na cidade de Três Lagoas, Mato Grosso do Sul. A mulher foi presa na noite do último sábado (5).

Polícia confirma uso de álcool e drogas pelo casal

Segundo a Polícia Militar, o casal estava efeito de entorpecentes e álcool.

Os dois teriam começado uma briga dentro do veículo e, de repente, a mãe da criança, que estava com ela nos braços, abriu a porta do carro e pulou com ele ainda em movimento.

O homem acusou a sua esposa de ter posto a vida da criança em risco e ainda afirmou que a mulher teria pulado do veículo segurando o bebê pelos braços e pernas. O pai da criança disse que ela bateu a cabeça no vidro antes de cair no chão com a mãe.

O pai da criança informou ainda que foi apenas uma discussão, não houve agressão física e ele ainda tentou impedir a jovem de se jogar do carro em movimento com a filha do casal.

Após o acidente, o homem teria parado o carro, e a discussão com a mulher continuou mesmo com a bebê de apenas 30 dias estando ferida. Pessoas que presenciaram a briga do casal resolveram intervir e pegar a criança para que pudesse receber atendimento médico.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Mulher

Enquanto a pequena criança estava sendo encaminhada à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) com hematomas nas pernas e manchas vermelhas pelo corpo, a mãe foi presa, sob risco pegar de 3 meses até 1 ano de prisão por colocar a vida da criança em risco.

A unidade não quis divulgar o estado de saúde da criança. O Conselho Tutelar também foi acionado após o ato, que poderia ter resultado na morte da criança.

O Conselho Tutelar decidiu que a garotinha não deve permanecer sob os cuidados dos pais, que se mostraram negligentes com a segurança e bem-estar dela. A guarda provisória será passada aos avós da criança, e a mãe permanece presa.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo