A morte de um homem de 52 anos de idade em São Paulo foi confirmada pelo Ministério da Saúde, nesta segunda-feira (20), como caso de febre hemorrágica. Morador de Sorocaba, interior do Estado, o paciente morreu no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, 12 dias após ter sido internado no local. Boletim Epidemiológico da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), do Ministério da Saúde (MS), informa que a pasta recebeu dia 17 de janeiro, a notificação de um caso confirmado da febre, do gênero Mamarenavírus, com cerca de 90% de similaridade com a espécie Sabiá.

A identificação deste vírus, que os profissionais de saúde estão informando que é novo, foi feita pela equipe do Laboratório de Técnicas Especiais (LATE), do Hospital Israelita Albert Einstein. Este mesmo agente foi confirmado pelo Instituto de Medicina Tropical da FMUSP, com a utilização de técnicas de metagenômica viral. O Instituto Adolfo Lutz também confirmou o agente com técnica de ampliação.

Óbito da febre hemorrágica foi dia 11 de janeiro

O relatório da pasta informa ainda, que o paciente teria sentido os sintomas da doença dia 30 de dezembro do ano passado.

Começou com quadro de dinofagia, dor epigástrica associada com náuseas, vertigem, xerostomia e mialgia. Ocorreu evolução com mialgias em membros, seguidas de dispnéia, febre alta, confusão mental e falência multissistêmica, chegando ao óbito, dia 11 de janeiro. Entre o início dos sintomas e óbito, o paciente foi atendido por pelo menos três estabelecimentos de Saúde, entre os municípios de Eldorado, Pariquera-Açu e São Paulo, no Hospital de Clínicas da faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFM-USP).

Segundo o portal‘G1’, é a primeira vez em 20 anos que a doença ocorre no Brasil. O site diz também que inicialmente, os exames foram feitos observando indícios para febre amarela, leptospirose, hepatites virais, zika e dengue. Os resultados foram negativos para todas estas suspeitas. O site Agência Brasil reforça que há cerca de 20 anos o arenavírus não era reconhecido no País. As autoridades em Saúde ainda não identificaram o local da contaminação.

Sabe-se que ele não viajava para fora do Brasil.

As febres hemorrágicas provocadas por vírus, são um grupo de doenças de origem zoonótica, caracterizadas por febre e manifestações hemorrágicas que podem apresentar extrema gravidade e alta letalidade. São doenças que apresentam distribuição mundial, causadas por um RNA vírus de fita simples de famílias, como Flaviviridae (febre hemorrágica de Omsk, febre da floresta de Kiasanur, dengue hemorrágico /síndrome de choque do dengue e da febre amarela; Nairoviridae (febre hemorrágica do Congo e da Criméia).

Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!