Mais um caso brutal de feminicídio foi registrado neta terça-feira (28). Durante a madrugada uma Mulher foi morta a tiros dentro de um ônibus pelo ex-marido, que se matou em seguida. O caso aconteceu no distrito de Padre Nóbrega, em Marília, no interior de São Paulo. Passageiros relataram momentos de pânico e correria dentro do coletivo.

De acordo com informações passadas pela Polícia Militar, Elisabete Aparecida Porta Raimundo, 35 anos, foi arrastada para fora do veículo pelo ex-marido, identificado como Cristiano Rodrigo Raimundo, 40 anos.

Ela ainda conseguiu retornar para dentro, mas foi colocada sentada na escada e levou um tiro na cabeça.

A perícia constatou que o criminoso efetuou quatro disparos contra a vítima. Em seguida, ele fugiu em um carro e em seu interior acabou tirando a própria vida. O veículo foi encontrado com o corpo dentro na Avenida República, no Bairro Palmital.

A polícia registrou o caso como feminicídio e apurou que o homem não aceitava o fim do relacionamento. A vítima estava indo trabalhar na hora em que o crime aconteceu, por volta das 5 da manhã.

Os passageiros que estavam no ônibus e o motorista não se feriram.

A vítima deixa um filho de dez anos, fruto de um relacionamento anterior. Elisabete e Cristiano serão sepultados nesta quarta-feira (29), no mesmo cemitério.

Motorista relata correria

O motorista que dirigia o ônibus onde aconteceu o feminicídio relatou ao portal G1 os momentos que pânico e correria dentro do veículo durante o crime.

A testemunha, que não quis relevar o nome, contou que o criminoso tomou o ônibus na Avenida Sampaio Vidal. Como seu cartão travou na catraca, ele então permitiu que o homem entrasse no coletivo pela porta do meio.

Após o homem entrar, o motorista voltou a seguir viagem e apagou as luzes, como costuma fazer todas as manhãs, quando escutou o primeiro disparo. O atirador então pediu para que as portas fossem abertas e homem correria dos passageiros tentando sair.

O motorista contou ainda que buscou proteção em outra rua e durante a fuga escutou mais quatro disparos. Quando voltou ao local encontrou a mulher caída no asfalto. “Ele sentou ela na porta dianteira do ônibus e deu os tiros”, disse.

Já havia sido condenado por homicídio

Cristiano Rodrigo Raimundo já possuía ficha criminal. De acordo com seus antecedentes, ele havia sido condenado por um homicídio e tentativa de outros dois. Os casos aconteceram entre os anos de 2000 e 2004, nas cidades de Vera Cruz e Marília.

O homicídio foi dezembro de 2000, na cidade de Vera Cruz, e foi motivado por uma dívida de 5 reais com o tio da vítima.

Por esse crime ele havia sido condenado a 12 anos de prisão.

Ele também respondia na Justiça a outros dois processos envolvendo a ex-mulher. Um por tê-la ameaçado e outro por ter descumprido medida protetiva que ela tinha contra ele.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!