Durou um pouco mais de uma semana o “noivado” da atriz Regina Duarte com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A artista de 72 anos finalmente deu sua resposta definitiva sobre se aceitaria o comando da secretaria especial de Cultura. A pasta é subordinada ao ministério do Turismo. Foi a própria atriz quem confirmou a informação na noite desta quarta-feira (29), depois que ela participou de uma reunião com Bolsonaro no Palácio do Planalto.

Carta branca

De acordo com o próprio presidente, Regina Duarte terá carta branca para fazer as mudanças no órgão com o intuito de promover uma aproximação com a classe artística.

A mais nova integrante do Governo Bolsonaro não comentou quando será publicada sua nomeação no Diário Oficial da União. Bolsonaro afirmou terça-feira (28), que Regina terá liberdade para realizar as mudanças que achar necessárias na secretaria de Cultura. Mas, ele destacou que a atriz precisará de "gente com gestão ao seu lado".

O Planalto afirmou em nota oficial, que tanto Bolsonaro quanto Regina consideram que neste momento eles avançaram uma fase no noivado e começam os “trâmites preparatórios oficiais para o casamento", dizia a nota.

Enquanto isso, o ministério do Turismo já assegurou que "Regina Duarte é a nova secretária especial de Cultura".

Na nota divulgada pelo ministro Marcelo Álvaro Antônio, ele afirmou que se trata de uma contratação de alto nível que irá reforçar a equipe do governo federal. Ele afirma ainda, na nota, que Turismo e Cultura, têm uma forte sinergia e que irão mostrar para o mundo o que o país tem de melhor, empolgou-se o ministro.

Ele ainda argumentou que tem certeza que ela obterá sucesso no novo desafio e que serão apresentados excelentes resultados.

A procura por alguém para o comando da área da Cultura aconteceu depois que o dramaturgo Roberto Alvim, o titular no comando da Cultura foi exonerado após ter veiculado um vídeo institucional em que copiou trechos de um discurso do ministro da propaganda de Adolf Hitler, Joseph Goebbels.

Especialistas afirmam que a escolha de uma atriz com reconhecimento em seu meio e que tem mais de 50 anos de carreira, seria uma tentativa de diminuir a repercussão negativa causada pelas polêmicas de Roberto Alvim.

Amizades

A atriz tem proximidade com a primeira dama, Michelle Bolsonaro e também tem um bom relacionamento com importantes integrantes do governo, como por exemplo, o ministro da Secretaria de Governo da Presidência, Luiz Eduardo Ramos. A atriz esteve em Brasília na semana passada para almoçar com o presidente e aproveitou para conhecer a estrutura da secretaria de Cultura, que no Governo do ex-presidente Michel Temer (MDB), tinha o status de ministério.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!