Em recente vídeo vazado na internet, um policial militar é flagrado agredindo violentamente uma Mulher grávida, enquanto tentava conseguir imobilizá-la no chão. O caso aconteceu na cidade de São José do Rio Preto, que fica a cerca de 490 quilômetros de distância da capital paulista.

O caso gerou uma grande revolta nas redes sociais, ocorrendo na tarde desta terça-feira (04), na rua 19, localizada no bairro Santo Antônio. A moça, grávida de apenas cinco meses, foi supostamente agredida pelo concursado público com um tapa em seu rosto. Não sendo o bastante, segundo testemunhas, ela teve sua barriga pressionada pelo joelho do policial e ainda foi enforcada pelo pescoço.

Para a sua felicidade, havia algumas pessoas no local que testemunhavam pediam para que a jovem fosse liberada.

Quando acionado o poder público para poder prestar os devidos esclarecimentos, a PM (Polícia Militar) disse, por volta das 17h20, que o patrulhamento não tinha sido informado sobre o acontecimento. A PM ainda afirmou que o caso será apurado pelo CPI (Comando de Policiamento do Interior), checando as informações e realizando o posicionamento devido após realizado tais procedimentos.

Filmagem

De acordo com uma testemunha que estava presente no local, a mulher foi detida por conta dos PMs estarem abordando um indivíduo suspeito de traficar drogas, desconfiando que ela estava filmando o ocorrido.

A atitude de filmar, no entanto, não está infringindo nenhum tipo de lei da Constituição.

Enquanto as pessoas que residiam no local pediam para que a jovem fosse liberada, um dos PMs, identificado pelo nome de Viana, afirmou para a mulher que ela estava detida pelos crimes de resistência e desacato contra autoridade.

A gestante ainda foi levada até a Central de Flagrantes da Polícia Civil.

O acontecido teve uma grande comoção, com inúmeras pessoas que sentiram dó da moça pedindo justiça. Benedito Mariano, ouvidor das polícias paulistas, ressaltou que irá enviar as imagens e gravações até Marcelino Fernandes, responsável pela corregedoria.

Será solicitado, por ofício, que todas as apurações sejam feitas e determine o afastamento do policial de seu cargo público.

Comoção nas redes sociais

Após o acontecimento, o vídeo do PM supostamente agredindo a mulher começou a ser compartilhado por milhares de pessoas nas redes sociais. Diversos foram os comentários repudiando tal atitude. “Hoje em dia nâo podemos confiar nem na polícia”, disse um internauta. “Se esse horror fosse em um país sério, esse "policial" não seria apenas expulso, mas sim preso. Que vergonha para esse governo e para nós, que ficamos apenas indiganados e horrorizados, sem reagir como deveríamos, já que parece estarmos em um país sem lei, sem judiciário ...” desabafou outro, mostrando estar revoltado com o ocorrido.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!