A Polícia Militar de Brasilândia, em Mato Grosso do Sul, prendeu na madrugada deste domingo (24) uma mulher de 29 anos de idade após ela confessar ter matado a filha de apenas 10 anos e enterrado o corpo em um lixão na cidade. Segundo a mulher de nome Emileide, ela teria estrangulado a criança com um fio de ventilador e depois enterrado ela viva de cabeça para baixo em um buraco no terreno.

De acordo com seu depoimento na Delegacia de Polícia, Emileide teria saído de casa em um automóvel com a filha Gabrielly Magallhães no sábado por volta das 17h.

Junto delas também estava o irmão mais velho da criança de 13 anos. Após terem chegado em uma praça próximo a um ginásio de esportes, a suspeita disse ter parado o carro e pedido para que o filho fosse embora que ela iria dar mais uma volta com Gabrielly.

Estrangulada e enterrada viva

Então, a mulher teria seguido em direção a rodovia MS-040, sentido a um lixão, e após alguns quilômetros ela teria entrado em uma estrada vicinal onde parou o carro e estrangulou a criança com um fio. Conforme a suspeita, ela teria percebido que a filha estava apenas desacordada e resolveu então abrir um buraco e enterrar a criança de cabeça para baixo e depois o tampou novamente com terra.

Após o ocorrido, Emileide entrou de volta no veículo e foi em direção a cidade onde comprou uma cerveja em uma loja de conveniência, e voltou novamente ao local para verificar se a menina teria morrido. Após perceber que a criança ainda estava viva ela jogou mais terra no buraco e voltou para a cidade onde ficou circulando com o carro por um bom tempo pelas vias até voltar novamente ao local e comprovar que a filha estava morta.

Corpo achado pela polícia

Assim que consumou o crime, a mulher retornou para casa, tomou banho e foi direto para a delegacia onde registrou um boletim de ocorrência de desaparecimento da menina. Horas depois a mulher voltou a ligar para a polícia e confessou que matou a menina indicando assim a localização do corpo.

Perguntada sobre o que ocasionou o crime Emileide não quis responder.

Com a descoberta do crime, o corpo de Gabrielly foi encaminhado para a realização de uma autópsia onde os resultados apontaram a causa da morte sendo por asfixia mecânica.

Segundo a polícia, a menina pode ter sido torturada antes de morrer.

Irmão envolvido no crime

A polícia ainda relatou que apesar da mãe ter dito que o filho mais velho não teria participado do crime, os agentes junto com o conselho tutelar da região descobriu que o jovem também teria participado.

Diante das autoridades o menino acabou confessando que ajudou a mãe a matar a irmã e também no sumiço do corpo. Interrogado, o jovem mencionou que a mãe derrubou a criança no chão e começou a enforcá-la com um fio. Segundo ele, a menina teria começado a implorar pela vida e começou a tentar gritar por socorro.

Logo em seguida, os dois teriam encontrado um buraco no terreno e teriam enterrado a menina de cabeça para baixo deixando apenas os pés da criança para fora. Diante dos policiais o menino teria dito que ele sabia que a irmã ainda estava viva no buraco porque ainda dava para escutar os pedidos de socorro dela.

Também perguntado sobre o que ocasionou o crime, o adolescente disse que a mãe teria ficado com muita raiva porque a menina teria dito a ela mais uma vez que foi abusada sexualmente pelo padrasto.

Com o auxílio do menino a polícia pode encontrar o fio que supostamente foi utilizado pela suspeita no crime.

A mulher responderá por homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e corrupção de menor.

O padastro também foi preso e responderá por abuso de vulnerável.

Não perca a nossa página no Facebook!