O surto do coronavírus em todo o mundo gera mortes, mas um caso de cura na Brasil vem chamando bastante atenção dos noticiários no país. A alagoana Ana Patrícia Bezerra Moura, de 43 anos, foi uma das primeiras pessoas infectadas no país com o vírus, passou cerca de quatro dias na UTI (Unidade de terapia intensiva), mas acabou tendo uma reviravolta e conseguiu se salvar.

De férias na Itália, a alagoana acabou sendo contaminada pelo coronavírus. Na volta ao Brasil, ela apresentou febre e dor de garganta e acabou sendo encaminhada ao hospital ao São Paulo, onde permaneceu sob a supervisão de alguns profissionais da área da saúde.

"Por algumas vezes, eu tive a certeza de que ia morrer, principalmente quando estava na UTI [unidade de terapia intensiva], porque eu me sentia muito mal: muita dor de cabeça, não me sentia melhorando rapidamente", disse em entrevista ao portal UOL.

Na última semana, ela foi declarada curada do vírus após exame e deixou o hospital. ''Você saber que está curada e tem a possibilidade de voltar para casa é uma alegria muito grande. Além do mais, estou há 30 dias sem ver meus filhos."

A Itália continua sendo um dos países com maior número de mortes por conta do coronavírus.

A atualização dos últimos dados aponta que cerca de 600 pessoas morrem diariamente, a maioria delas com mais de 50 anos. Ao todo, já morreram mais de 5.476 pessoas. A cada hora que passa, esse número continua a aumentar.

Curados

No mundo, já foram mais de 100 mil pessoas curadas da covid-19. Até o presente momento, a província de Hubei (China), o local onde a covid-19 surgiu, lidera com o maior número de curados, 59.882.

Ainda não se tem dados específicos de quantas pessoas foram contaminadas pelo vírus, mas se sabe que ainda existem pessoas que possuem o vírus no primeiro estágio, que seria tosse seca.

Prevenção

Ainda não se possui meios eficazes para combater o vírus, como uma vacina. Por isso, existem prevenções que podem ser adotadas diariamente para que o vírus não se propague ainda mais. Uma das formas mais eficazes, é evitar locais de grande aglomerações e sempre ter álcool em gel em mãos, para que as mãos permaneçam sempre limpas.

Além disso, evitar coçar as vistas e também regiões mais vulneráveis do rosto, tendo como exemplo a boca.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!