No início da manhã desta quinta-feira (26), a Polícia Militar do Rio de Janeiro planejou uma megaoperação em algumas comunidades da cidade. De acordo com informações dos próprios moradores, intensos tiroteios vinha da comunidade do Complexo do Chapadão, área que é tomada pelo tráfico de drogas.

Pelas redes sociais, moradores informaram que a operação contou com a presença de diversos policiais, junto de um caveirão blindado. Sobre a operação no morro do Complexo do Chapadão, não tiveram informações de feridos ou apreensões até as 8h. A Polícia Militar também deu continuidade no Morro do Andaraí, área também que é dominada pelo tráfico de drogas.

O helicóptero da Rede Globo conseguiu registrar parte da operação, mostrando diversos policiais correndo em direção a comunidade, onde foram recebidos a tiros. Um blindado branco também deu apoio na operação. Também não tiveram informações sobre essa operação.

Ainda não se sabe se essas operações ocorridas na manhã dessa quinta-feira (26) é referente alguma denúncia anônima ou se é operações de rotina. O atual secretário de segurança do Rio de Janeiro, Cleiton Rodrigues, não se posicionou sobre as operações e nem deu informações se continuará tendo outras operações.

Rio de Janeiro

Apesar do governador, Wilson Witzel, decretar estado de quarentena, muitas coisas ainda continuam acontecendo no estado, tendo como exemplo as grandes operações policiais.

Dados da própria Polícia Militar diz que teve uma queda significativa sobre os crimes de roubo, furto e assassinato.

De acordo com informações cedidas pelo próprio secretário de segurança, isso é consequência do pouco fluxo de pessoas na rua. Um crime que teve um aumento absurdo, não só no estado do Rio, mas como em todo o país, foi o crime de violência doméstica.

A respeito desse crime, as denúncias ainda podem ser realizadas nas delegacias especiais para as mulheres, mas as autoridades recomendam ligar para o telefone da própria polícia (190) e registrar os casos.

A penal atual para o crime de violência doméstica foi incluída no código pela Lei Maria da Penha, onde diz que o acusado pelo crime poderá ser penalizado com a pena máxima de 3 anos.

Violência doméstica

Para evitar esse tipo de crime no período de quarentena devido a proliferação do coronavírus, foi publicada no próprio Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (26) a Lei 11.657, que obriga condomínios residenciais e conjuntos habitacionais a comunicar a autoridades policiais sobre casos de violências domésticas contra mulheres.

Até o fechamento dessa matéria, não se teve informações de quantas mulheres foram vítimas de violência doméstica no período de quarentena.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!