A diminuição de casos do novo coronavírus e o aumento do número de testes para a doença foram alguns dos critérios adotados pelo governador de São Paulo, João Doria, na decisão de implementar o ‘Plano São Paulo’, para retomada das atividades econômicas no Estado, começando dia 11 de maio.

Doria, que considerou também a disponibilidade de leitos da Secretaria Estadual da Saúde para infectados pela doença, fez este anúncio nesta quarta-feira (22), durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, região do Morumbi.

João Doria afirmou que a retomada começará dia 11 de maio no Estado. Contudo, o governador advertiu que isso ainda não significa o fim da quarentena no maior estado brasileiro.

Com estas observações, Doria advertiu que somente no dia 8 de maio serão informados os setores que poderão entrar em funcionamento dia 11 do mesmo mês.

Saúde e medicina auxiliam nas decisões

Também por essas observações, o governador afirmou ainda, que em situações como da Covid-19, as orientações sobre atitudes a serem tomadas são guiadas pela saúde e a medicina. Para Doria, o que já ocorre atualmente no estado, continuará a ocorrer após o dia 10 de maio, quando acabar este período de quarentena.

Além do ‘Plano São Paulo’, o governador Doria anunciou que o estado de São Paulo zerou a fila de testes para a Covid-19. Como governador, João Doria acrescentou que componentes como os kits adquiridos na Coreia do Sul e a incorporação de laboratórios na rede de processamento dos exames, que a atingiu 21 mil unidades, contribuíram para esse resultado.

O governador reforçou ainda, que a natureza de cada região determinará como será o funcionamento do comércio local. Para melhor entender a implementação do Plano, as condições regionais de localidades afetadas pela doença, serão identificadas pelas áreas de cores vermelho, amarelo e verde.

A cor vermelha representa regiões com elevado número de novos casos de coronavírus, ou ainda, alto índice de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

A cor amarela significa patamar aceitável de novos casos da doença, ou preenchimento ajustado aos leitos de maiores complexidades.

O secretário da Saúde do Estado de São Paulo, José Henrique Gherman destacou que a adoção de critérios geográficos são muito importantes porque o território brasileiro é formado por diferentes características sendo necessárias adaptações aos fatores críticos em cada uma delas.

Coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 no Estado de São Paulo, o infectologista David Uip disse que as curvas epidemiológicas da doença servirão de referências para indicação ao Governo de quais cidades ou localidades poderão receber a reabertura gradual de sua economia.

Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!