O Governo de São Paulo flexibilizou um pouco as regras da quarentena no estado e alguns setores foram autorizados a voltarem a desenvolver suas atividades. As novas medidas foram publicadas na edição deste sábado (4), do diário oficial. Antes, apenas serviços essenciais, como supermercados, postos de gasolinas e farmácias, podiam seguir funcionando.

Agora escritórios de advocacia e contabilidade poderão voltar às suas atividades, porém apenas para trabalhos internos e sem contato com clientes. Prédios comerciais e lojas e autopeças e produtos automotivos também poderão funcionar.

Mais de 200 mortes no estado

São Paulo é o estado onde se concentram a maior parte dos casos positivos e de mortes provocadas por conta do coronavírus no Brasil. No último balanço divulgado nesta sexta-feira (3), todas as cidades somavam 4.048 casos, além de 219 vítimas fatais da Covid-19. Além da capital, outras 20 cidades registraram mortes pelo coronavírus.

Dentre as vítimas, 121 são homens e 98 mulheres. Dos pacientes que faleceram, 24 tinham mais de 90 anos de idade, 57 tinham entre 80 e 89 anos. A faixa mais letal no estado é entre 70 e 79 anos, com 66 óbitos. Entre 60 e 69 anos morreram 45 pessoas. As outras 27 vítimas tinham 59 anos ou menos e possuíam comorbidades.

De acordo com dados divulgados pelas secretarias estaduais de saúde, até esta sexta-feira (3), todo o Brasil tinha 9.216 casos positivos para o novo coronavírus e 365 óbitos.

São 1140 novos casos em relação ao balanço divulgado no dia anterior. Na quinta-feira o número de mortos era 327.

Apenas o Acre, Amapá e Tocantins não registraram mortes ainda pela Covid-19. O Mato Grosso deixou esse grupo após registrar pela manhã sua primeira morte. A vítima é um homem de 54 anos que sofria de hipertensão e estava internado desde 29 de março.

Prefeito de São Bernardo apresenta melhora

Internado na UTI do Hospital São Luiz, em sua unidade em São Caetano do Sul, o prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando, 45 anos, apresentou melhor em seu quadro de saúde e já consegue respirar sem a ajuda de aparelhos. Um boletim médico divulgado neste sábado (4), pela instituição apontou seu quadro como sendo estável.

Internado desde o último domingo (29), na quinta-feira (2) ele postou nas redes sociais um vídeo gravado por seu próprio telefone celular, onde descrevia seus sintomas. Morando disse que estava há dez dias com febre e tinha dificuldades para respirar. Durante a gravação ele chegou a tossir algumas vezes. Ele também reclamou de dores de cabeça e dor no corpo.

A deputada estadual Carla Morando (PSDB), esposa do prefeito, também foi infectada pelo coronavírus, mas não precisou ficar internada e segue se recuperando em casa.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!