Um médico que trabalha na Unidade de Pronto Atendimento do bairro Sitio Cercado, em Curitiba, foi agredido na noite desta quarta-feira (8) por um paciente de 40 anos que está com suspeita de coronavírus. O caso foi confirmado pelo Sindicato dos Médicos no Estado do Paraná.

De acordo com o Simepar, o paciente, que possui histórico de transtorno mental, arrancou o soro venal, cuspiu na equipe médica e ainda agrediu um clínico geral Igor Kazuo Onaka com um soco no rosto. A agressão lhe causou sangramento, mas não houve fratura.

Em entrevista ao portal UOL, Kazuo disse que o paciente chegou na UPA com sintomas relacionados ao coronavírus, como falta de ar.

Seguindo o protocolo para coronavírus e aguardo o surgimento de uma vaga no Hospital Evangélico, instituição para onde estão sendo levados os pacientes com suspeita de Covid-19.

Revolta do paciente

Ao saber que seria transferido, o homem se revoltou, arrancou o soro venoso, o que lhe provocou sangramento no braço, e partiu para cima da equipe médica. Kazuo ainda tentou conter o paciente, mas levou um soco no nariz. Ele ainda sujou outros profissionais com sangue e antes que a segurança chegasse ao local, ele ainda cuspiu e tentou morder a equipe médica. Ele ainda puxou as máscaras dos técnicos de enfermagem e dos guardas municipais.

O médico disse que avisou ao paciente que por conta do risco ele não poderia deixar o local e se seria caracterizado como crime se ele fugisse.

“(Ele) arrancou a máscara e começou a cuspir, querendo contaminar toda a equipe”, disse o profissional de saúde.

Temor de contaminação

Kazuo disse que após o incidente, toda a equipe médica agredida realizou exames para saber se houve contaminação por causa das cusparadas que sofreram e que isso tem lhe preocupado, caso o paciente seja mesmo diagnosticado com a Covid-19.

“O que me preocupa é ele ter contaminado a mim e todo o restante da equipe”, falou. Todos estão sendo monitorados e os que apresentarem sintomas serão afastados.

O médico disse que por conta do aumento de casos na capital paranaense os profissionais de saúde estão atuando sob pressão e a sensação de ansiedade se agrava em razão do comportamento de alguns pacientes e o que aconteceu nesta quarta ele classifica como “repugnante”.

Um boletim de ocorrência contra o paciente, cujo nome não foi revelado, foi registrado na Polícia Civil.

Casos no estado

De acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado, o Paraná tinha até esta quarta-feira (8) 550 casos positivos do novo coronavírus e 17 mortes confirmadas, sendo cinco delas em Curitiba.

Em todo o Brasil o número de casos já havia ultrapassado os 16 mil e o número de mortos era de 800.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!