O cadeirante identificado como Luís Fernando dos Santos Lima, de 20 anos, que havia sido detido após morder a orelha de um policial militar do Distrito Federal, acabou tendo a sua liberdade autorizada pela Justiça após audiência de custódia. O ataque ocorreu na tarde dessa terça-feira (07), quando o militar se preparava para algemar o suspeito por tráfico de drogas.

A magistrada que estava conduzindo o caso informou o seguinte: “Não há circunstâncias fáticas concretas, atuais e contemporâneas a justificar a prisão do cadeirante”. Com a soltura do cadeirante, pelas redes sociais, muitos internautas foram contra a posição da Justiça referente o caso.

A ocorrência

O cadeirante foi surpreendido com uma guarnição da Polícia Militar, onde ele estava acompanhado de mais duas pessoas. Após os policiais informarem que eles iriam revistas os suspeitos, o cadeirante não concordou com a ideia e começou a desacatar os militares que ali estavam. Os outros dois suspeitos acabaram empreendendo fuga.

Com a suspeita, um policial acabou tomando frente do caso e foi revistar o cadeirante, mas acabou sendo surpreendido com a residência do mesmo, onde ambos entraram em uma breve luta corporal. Em seguida, muitos moradores que acompanhavam a abordagem tentava tirar o deficiente de cima do policial. Na confusão, o cadeirante acabou mordendo a arrancando parte da orelha do militar.

Após ser lesionado, os militares prenderam o cadeirante e o encaminharam à delegacia, onde permaneceu detido até que uma medida fosse tomada pelo delegado responsável pela ocorrência. De acordo com algumas informações, o cadeirante acabou sendo autuado por lesão corporal grave contra agente de estado, ameaça, resistência e desacato.

O policial militar, que não teve a identidade revelada, foi até o Hospital de Base, onde levou alguns pontos na orelha após passar por uma cirurgia. O militar segue bem e os outros dois suspeitos que fugiram ainda não foram localizados.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!