Com o objetivo de conter a escalada do coronavírus na Cidade de São Paulo, o prefeito Bruno Covas (PSDB) decretou nesta sexta-feira (8), um novo formato para rodízios de veículos. De acordo com o G1, a medida prevê que a partir de segunda-feira (11), carros com placas de final par só poderão circular na cidade, nos dias pares da semana.

A circulação de veículos na cidade será livre para todas as placas de carros, nos meses com 31 dias como acontece com o mês de maio. O proprietário do veículo que desobedecer às regras do novo rodízio pagará multa de R$ 130,16, além de acrescentar quatro pontos na sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

As medidas permitem que categorias profissionais como os da área da Saúde e da Imprensa façam seu cadastro pelo e-mail: isenção.covid19@prefeitura.sp.gov.br, e poderão transitar livremente. Portadores de deficiência estão isentos de obedecerem ao rodízio.

Alternância de placas é para toda cidade de SP

Por outro lado, os carros com placas de final ímpar só circularão nos dias ímpares. Ainda conforme o G1, a medida abrange toda a Cidade e não apenas para o centro expandido, como ocorria antes do início da pandemia do novo coronavírus. O portal.UOL informa que as medidas adotadas pelo prefeito Bruno Covas, evitarão o lockdown. Pelo vídeo, o prefeito Bruno Covas anunciou esse novo modelo de rodízio nesta quinta-feira (7), por meio de uma videoconferência.

Bruno Covas explicou que as novas medidas são necessárias porque os bloqueios das avenidas não apresentaram bons resultados. Covas explicou, também, que a alternância das placas deverá ser de 24 horas diárias, e não apenas como vigorava anteriormente, nos horários de pico, compreendidos como das 7 às 10 horas da manhã e das 15 às 20 horas, no período da tarde.

Este revezamento inclui também os sábados e domingos, enquanto o outro formato vigorava até sexta-feira. Bruno Covas pontuou que estudos comprovam melhoras na qualidade do ar, no período restritivo dos veículos desta quarentena. Essa melhora culminou também na diminuição das doenças respiratórias, contribuindo para salvar vidas, já que insuficiência de ar é uma das principais causas de mortes verificadas nas vítimas do coronavírus.

Considerando que a preservação da vida é bem maior a ser protegido pela municipalidade, o prefeito afirmou que as ações implementadas na cidade de São Paulo desde fevereiro, evitaram a ocorrência de 30 mil mortes. Para diminuir a circulação de carros, a prefeitura acrescentará cerca de 1.600 ônibus à frota da São Paulo Transportes (SPtrans). Conforme esclareceu Bruno Covas, 600 deles permanecerão em bolsões para casos de necessidade.

Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!