O prefeito Bruno Covas (PSDB) conseguiu, nesta segunda-feira (18), a aprovação pela Câmara Municipal de São Paulo do projeto de Lei autorizando a antecipação dos feriados de Corpus Christi, 11 de junho, e da Consciência Negra, 20 de novembro, para estas quarta-feira (20) e quinta-feira (21), respectivamente. Para a sexta-feira (22) deste bloco, que vem sendo chamado de feriadão, a ideia é transformá-la em ponto facultativo.

Da mesma forma, um projeto do governador do Estado de São Paulo, João Doria (PSDB), estuda antecipar o feriado estadual de 9 de Julho (Revolução Constitucionalista) para a próxima segunda-feira (25).

Se aprovada esta vontade de Doria, ao todo, o feriadão contemplará seis dias de descanso, favorecendo o isolamento social. As autoridades de saúde consideram que o ideal é um patamar de 70% para evitar colapso no sistema de saúde.

Sábado passado o isolamento ficou em 52% na capital e 50% no estado. No domingo os parâmetros subiram para 56% na capital e 54 no estado. O estado de São Paulo contabiliza 63.006 pessoas infectadas pelo novo coronavírus e 4.823 mortes pela doença. A taxa de ocupação dos leitos de UTI, para os casos mais graves, é de 69,8% em todo o estado. A Grande São Paulo possui índice de ocupação desses leitos correspondente a 89,3%.

Segundo o site da revista Exame, a rápida aprovação dessa proposta municipal ocorreu porque entrou como emenda em outra já existente na Câmara que havia sido contemplada em primeira votação.

A proposta em questão assegurava cota para mulheres vítimas de violência doméstica em empresas de serviços à Prefeitura Municipal de São Paulo.

Ainda conforme a Exame, o texto que foi aprovado em primeiro turno ainda 2019, recebeu um projeto substitutivo, de cujo consentimento por 28 votos, necessários à apreciação, aconteceu em votação remota.

Rodízio em São Paulo retorna ao sistema inicial

De acordo com o UOL, neste domingo (17) o prefeito Bruno Covas informou o retorno do rodízio na sua forma habitual antes da pandemia do novo coronavírus, no centro expandido da capital. Esta é mais uma alternativa de conter o aumento da curva da covid-19 na cidade de São Paulo.

Desta forma, o rodízio vigorará de segunda a sexta-feira, com restrições das 7h às 10h e das 17h às 20h, conforme finais das placas de veículos, começando neste dia 18.

As normas que voltam a vigorar, preveem que nos períodos entre 7h e 10h e 17h e 20h, às segundas- feiras, não podem circular veículos de placas de finais 1 e 2; terças-feiras, não circulam os de finais 3 e 4; quartas-feiras, os finais 5 e 6; quintas-feiras, 7 e 8; e sextas-feiras estarão restritas as placas de finais 9 e 0.

Bruno Covas tomou essa decisão porque a divisão da circulação de veículos no sistema de placas pares e ímpares não contribuiu para melhoria da taxa de isolamento pretendida.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!