Uma gestante de 27 anos é suspeita de ter matado o marido a facadas, após ser agredida por ele com socos. O caso aconteceu na noite da última sexta-feira (12), na região do Núcleo Habitacional Buriti, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Hudson Silva dos Reis, de 36 anos, morreu no local.

Em seu depoimento, a Mulher disse que estava em sua casa com o marido e um casal de amigos fazendo um churrasco e consumindo bebida alcoólica. Ainda de acordo com ela, o rapaz passou a fazer algumas brincadeiras de mau gosto e a discussão se agravou após os visitantes irem embora.

A desavença teria iniciado por causa de um aparelho celular que estava com seu companheiro.

A discussão se intensificou ainda mais e se transformou em agressões físicas. A gestante contou que levou dois socos no rosto e isso provocou lesões em seu nariz.

Para se defender, a mulher pegou uma faca, com uma lâmina de aproximadamente 15 centímetros, que estava na pia da cozinha, e desferiu vários golpes contra seu agressor. Ele ainda tentou fugir, mas acabou caindo na calçada, em frente à casa.

Vizinhos acionaram a Polícia Militar e, quando os policiais chegaram ao local da ocorrência, encontraram a mulher tentando estancar o sangramento do marido. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e o Corpo de Bombeiros também foram acionados para socorrer o homem, mas ele não resistiu e morreu no local.

A situação deixou a gestante bastante abalada e ela precisou ser levada para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde uma equipe médica de ginecologia e obstetrícia prestou atendimento. Ela segue internada sob escolta policial.

O caso foi registrado como homicídio e violência doméstica.

Mulher tem que reconstruir mão

Também na última sexta-feira (12), na cidade de Costa Rica, a 384 quilômetros de Campo Grande, uma jovem de 20 anos foi vítima de uma tentativa de feminicídio praticada pelo companheiro, que invadiu sua casa durante a madrugada.

Ela foi atacada com um facão e precisou passar por cirurgia para reconstruir a mão direita, por causa das graves lesões nos tendões.

Testemunhas que ajudaram a socorrer a vítima disseram que sua mão ficou presa apenas pela pele.

De acordo com informação passada pela assessoria da Santa Casa, a jovem está em recuperação na enfermaria e seu estado de saúde é considerado estável.

O agressor, de 26 anos, conseguiu fugir pulando o muro da casa. A arma usada no crime foi apreendida pela polícia e será periciada. Antes de praticar esse crime, o suspeito já era considerado foragido, por ter prisão preventiva decretada devido a um sequestro e estupro cometidos contra a mesma jovem.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!