Uma Mulher de 40 anos sobreviveu a uma tentativa de feminicídio cometida pelo próprio filho, de 23 anos. O caso aconteceu na tarde desta quarta-feira (10), em um apartamento em Santos, no litoral de São Paulo. A vítima levou várias facadas, sendo cinco delas na cabeça. A Polícia teve, por cerca de uma hora, que negociar a rendição do rapaz antes de prendê-lo em flagrante e levá-lo para a Delegacia da Mulher.

De acordo com informações passadas pela Polícia Militar, a corporação foi acionada para atender a uma ocorrência dando conta de tentativa de homicídio na avenida Bartolomeu de Gusmão, no bairro Embaré.

Ao chegarem ao local da ocorrência, os policiais se depararam com a vítima ensanguentada no hall de entrada. Ela estava consciente e foi atendida por uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que a levou para a Santa Casa de Santos.

Suspeito se trancou no apartamento

Após o socorro à mulher, os PMs subiram até o apartamento, localizado no quinto andar, onde o suspeito estava refugiado em um dos cômodos. Por cerca de uma hora os policiais negociaram para que ele se rendesse. Um dos soldados chegou a tirar o cinturão com a arma para que o suspeito se sentisse mais seguro.

Durante todo o tempo da negociação o rapaz aparentava nervosismo e sempre ficava passando a faca de uma mão para outra.

Depois de algum tempo ele foi finalmente convencido pelos policiais a se entregar.

Após ser preso, ele foi encaminhado à Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da cidade. De acordo com a polícia, o suspeito é usuário de drogas e a tentativa de homicídio foi por motivo fútil. Ele não teve seu nome revelado.

O estado de saúde da mulher não foi divulgado, mas sabe-se que ela está internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) teve cinco ferimentos de faca na cabeça e outros sete no braço e tronco.

Foi salva pelo porteiro, relata testemunha

De acordo com o relato de uma testemunha, a pronta ação dela e de um porteiro do prédio evitou que a mulher acabasse sofrendo mais ferimentos ou sendo morta pelo filho.

A pessoa, que prefere não se identificar, disse que a briga aconteceu por volta das 14h, quando o marido da vítima havia saído após o almoço. A testemunha escutou os gritos vindos do apartamento e correu junto com o porteiro para apartar a briga.

Ela segue dizendo que o barulho cessou quando ela e o funcionário tentavam arrombar a porta. Quando a porta finalmente foi aberta, a vítima correu para fora ensanguentada e foi auxiliada pelo porteiro até a chegada da equipe de socorro. Ela estava consciente, mas não explicou o motivo das agressões. O serviço de resgate e a polícia militar chegaram rapidamente ao local.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Siga a página Santos
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!