Uma tragédia ocorreu na região central do Recife, Pernambuco. Miguel Otávio Santana da Silva, de apenas 5 anos, passava o dia no trabalho da mãe em um edifício de luxo. Em dado momento, a mãe, Mirtes Renata, teria saído do apartamento para passear com o cachorro dos patrões. A criança ficou na companhia de Sari Gaspar Corte Real, empregadora de Mirtes e esposa do prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker. Miguel teria começado a chorar, chamando pela mãe. De acordo com a coluna de Hugo Gloss, imagens internas de câmeras de segurança teriam registrado o momento em que Sari deixa a criança sozinha no elevador e aperta botões de andares no equipamento.

Momentos após, o menino sofreu uma queda de mais de 30 metros de altura, vindo a óbito em seguida. A mãe de Miguel voltou do passeio e logo soube da notícia de que alguém havia caído do prédio. A doméstica sofreu um choque ao perceber se tratar de seu filho. Em entrevista, Mirtes desabafou sobre a tragédia e apontou negligência por parte da patroa.

Mãe da criança aponta irresponsabilidade

De acordo com o G1, Mirtes Renata desabafou sobre a morte do filho e afirmou que se a situação fosse contrária, ou seja, a empregada sendo relapsa com o filho da patroa, a situação seria bem diferente, e seu rosto seria estampado em todos os jornais. Sari Corte foi autuada pela Polícia por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, e deixou a delegacia após pagar fiança.

O fato gerou revolta e comoção por parte dos familiares. A equipe do G1 teria tentado entrar em contato com o prefeito de Tamandaré, porém, não obteve retorno.

Ainda em entrevista, Mirtes Renata falou sobre a irresponsabilidade da patroa. "Ela confiava os filhos dela a mim e a minha mãe. No momento em que confiei meu filho a ela, infelizmente ela não teve paciência para cuidar", desabafou a doméstica.

Renata disse, ainda, que seu filho seria uma criança um tanto teimosa, mas que não deixava de ser uma criança que precisava de cuidados. A mãe de Mirtes Renata, avó de Miguel Otávio, também trabalhava no local e revezava o serviço com a filha.

Dia do trágico acidente

Sobre o fatídico dia do acidente, Mirtes Renata afirmou que o filho teria passado o dia brincando com a filha de sua patroa e que não teria levado as crianças no passeio com o cachorro porque as mesmas estariam agitadas.

A doméstica contou que o passeio não teria demorado, e logo após retornar, teria ficado sabendo da tragédia. A mãe de Miguel Otávio teria visto o filho caído no chão. A criança foi socorrida ao Hospital da Restauração, no bairro do Derby, no carro de Sari Corte, porém, não resistiu aos ferimentos e veio a óbito devido a politraumatismos. Mirtes Renata afirmou que teria ficado chocada ao ver o vídeo das imagens das câmeras de segurança, onde a patroa aparece deixando seu filho sozinho.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!