O caso do menino Miguel Otávio, de 5 anos, que faleceu após cair do nono andar de um prédio na região central do Recife, Pernambuco, vem ganhando novos desdobramentos. Miguel Otávio estava na companhia de Sarí Corte, então patroa de sua mãe, Mirtes Renata, no momento do acidente. Sarí teria permitido que o menino entrasse sozinho no elevador do prédio. Imagens de câmeras de segurança registraram o momento em que a mulher aperta botões no equipamento e vê a porta se fechar com Miguel dentro do elevador. Momentos após, o menino caiu de uma altura de mais de trinta metros, vindo a óbito logo em seguida.

Após a tragédia, Sarí Corte divulgou uma carta aberta, pedindo perdão à Mirtes Renata, e afirmando que jamais poderia imaginar que algo de ruim pudesse acontecer ao menino Miguel. De acordo com o site G1, a mãe do menino, com a ajuda de seus advogados, escreveu uma carta direcionada à Sarí Corte. No documento, a mãe de Miguel considera como "desumano" um pedido de perdão a uma mãe que perdeu um filho naquelas circunstâncias. No triste desabafo, Mirtes Renata revela estar "sem forças" após a tragédia.

Mãe de menino Miguel fala em perdão

Ainda de acordo com o site G1, Mirtes Renata, mãe de Miguel Otávio, afirmou que a carta escrita por Sarí Corte teria sido direcionada à imprensa, e não a ela. Mirtes afirmou que a ex-patroa somente se preocuparia com a opinião pública, já que estamos em ano de eleições.

Sarí Corte é esposa de Sérgio Hacker, atual prefeito de Tamandaré. No texto, a mãe de Miguel afirma não guardar rancor da ex-patroa, mas que viveria com a saudade do filho de apenas 5 anos de idade.

Na carta, Mirtes relembrou momentos cotidianos ao lado do filho, e afirmou que era como se Sarí Corte tivesse lhe tirado a própria vida.

A mãe de Miguel classificou como "desumano" o pedido de perdão da ex-patroa logo após a perda do filho, e afirmou que Miguel só foi tratado daquela maneira por ser o filho de uma doméstica. "Perdoar seria matar o Miguel novamente", desabafou Mirtes Renata, que afirmou que a aplicação de uma pena a Sarí Corte lhe traria um pouco de conforte e lhe possibilitaria pensar em um recomeço.

O inquérito policial sobre o caso deverá ficar pronto em cerca de 30 dias.

Protestos populares

Desde a morte de Miguel Otávio, protestos populares tomaram conta das ruas de Recife. A população se revoltou com o fato de Sarí Corte sair em liberdade após pagar uma fiança no valor de R$ 20 mil. Até mesmo um abaixo-assinado foi criado para que houvesse justiça no caso. O documento virtual já conta com mais de 2,5 milhões de assinaturas. Na última segunda-feira (8), uma missa de sétimo dia virtual foi realizada em homenagem a Miguel Otávio.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!