O falecimento de um bebê de quatro meses trouxe dor e tristeza para uma família da cidade de Macaé, no Rio de Janeiro. O menino veio a óbito após ser deixado por diversas horas trancado dentro de um carro sozinho. A criança foi esquecida no veículo pela própria mãe, que segundo as primeiras informações estaria passando por problemas psicológicos desde que deu à luz o menino.

Menino ficou preso no carro

Segundo as informações repassadas pela Polícia, a mãe de um bebê, que completaria 5 meses nesta semana, teria saído para levar o filho para passar a tarde com uma amiga na segunda-feira (6). A pessoa não se encontrava em casa, e a mãe teria voltado com a criança para sua residência, localizada no bairro Horto.

A mulher, que desenvolveu depressão pós-parto depois do nascimento do menino e que faz uso de remédios controlados, teria chegado em casa e ido para o quarto dormir, visto que estava sob o efeito da medicação. A criança foi esquecida presa na cadeirinha, dentro do veículo, que ficou com os vidros fechados.

Pai encontra filho no veículo

Por volta de seis horas depois, o marido da mulher voltou para casa e perguntou pelo filho. A mãe teria dito que o bebê estava com a amiga, que ela teria levado o menino, assim como tinham combinado. Mas a grande surpresa foi quando o homem foi até a garagem da casa e viu a criança dentro do veículo.

O pai da criança teria entrado em desespero ao ver o filho preso dentro do carro na cadeirinha e ligou para o atendimento de urgência, por volta das 18:47 horas.

O Corpo de Bombeiros foi até o local e tentou reanimar a criança e chegaram até a levar o bebê até o Pronto-Socorro da cidade, mas ele já chegou sem vida ao local. O menino era o único filho do casal.

O corpo da criança foi levada ao Instituto Médico Legal de Macaé, onde passou por exames para comprovar a causa da morte do menino.

Os laudos revelaram que o óbito da criança ocorreu por asfixia hipóxia, que é quando ocorre a falta de oxigenação no cérebro e nos demais órgãos.

Sob forte comoção dos familiares, o menino foi enterrado na terça-feira (7), no Cemitério Memorial Mirante da Igualdade. Devido ao estado emocional dos familiares, os mesmos ainda não foram ouvidos pela polícia.

O caso está sendo investigado pela 123.ª Delegacia Policial da cidade.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!