Na noite deste sábado (11), algo surpreendente e inesperado aconteceu na zona norte de São Paulo quando um adolescente de 14 anos fez um pedido de esfihas por delivery.

Os alimentos foram entregues embalados e fechados, porém quando a família foi comer, o jovem encontrou nada menos que um pedaço de dedo humano dentro do lanche.

Polícia foi acionada

A Polícia Militar foi acionada pela família do garoto e, após a constatação de que o objeto estranho se tratava mesmo da parte de um dedo humano, a equipe se dirigiu ao local que fez a venda do produto para averiguar o caso. No estabelecimento, a equipe policial se encontrou com o garoto acompanhado da mãe.

Consumidores se aglomeraram em frente à lanchonete durante a ocorrência.

A mãe do garoto, Elisangela Alcântara dos Santos, relatou aos policiais que seu filho encontrou o pedaço de dedo após dar a primeira mordida na esfiha.

O dono do estabelecimento falou com os policiais através de ligação telefônica e informou que um de seus colaboradores teria decepado um dedo enquanto picava calabresa. De acordo com o proprietário da lanchonete, o funcionário procurou pelo pedaço de seu dedo, porém não teve sucesso e foi encaminhado para atendimento médico em um hospital.

Estabelecimento foi fechado

O estabelecimento foi fechado na noite de sábado. A parte do dedo decepado encontrado pelo jovem, assim como as esfihas, foram apreendidos e encaminhados para realização de perícia no Instituto de Criminalística e no Instituto Médico Legal (IML).

Uma perícia também foi realizada no estabelecimento com o intuito de verificar as condições sanitárias e de higiene do local.

O proprietário do restaurante declarou aos policiais que, desde o ocorrido, o estabelecimento ficou fechado, tendo reabrido apenas na sexta-feira (10).

Declaração do funcionário

O cozinheiro que teve o dedo decepado durante o horário de trabalho contou que o acidente ocorreu na quarta-feira (8), enquanto usava um cortador de calabresa. Após o incidente, o funcionário foi socorrido e encaminhado para o Hospital do Servidor Público, ganhando alta logo após o atendimento e dando sequência ao tratamento complementar em sua própria casa.

Sobre a busca pelo pedaço do dedo, o funcionário afirma que procurou em todas as partes da cozinha. Ele teria procurado no chão, no cortador de calabresa e entre os alimentos, mas não conseguiu encontrá-lo em nenhum lugar.

Acusações

De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP), a situação inusitada foi registrada como crime contra as relações de consumo, perigo para a saúde ou a vida de outro e também lesão corporal culposa, quando não há intenção de ferir.

O caso foi registrado no 20º Distrito Policial.

Siga a página Fofocas
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!