Nesta segunda-feira (24), a Polícia Civil e o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) realizaram a prisão de nove pessoas suspeitas de envolvimento no assassinato do pastor Anderson do Carmo, que morreu no dia 16 de junho de 2019, com mais de 30 tiros. De acordo com informações da investigação, nomeada Operação Lucas 12, a viúva e deputada federal Flordelis (PSD-RJ) foi a mandante do crime, contudo, ela não pode ser detida por causa da imunidade parlamentar –que autoriza prisão apenas em casos de flagrantes e de crimes inafiançáveis.

As nove detenções realizadas nesta segunda foram pedidas pela 3ª Vara Criminal de Niterói, que inclusive aceitou a denúncia realizada pelo MP, tornando Flordelis ré no caso.

Agora, com o resultado da Operação Lucas 12, sobe para sete o número de filhos de Anderson de Carmo presos por suspeita de envolvimento no crime.

Nove pessoas são presas nesta segunda-feira (24)

Entre os nove detidos nesta segunda, estão Adriano, Carlos, Simone, André e Marzy, filhos da vítima, e Rayane, neta de Anderson. Além destes, também foram expedidos pela Justiça dois mandados de prisão para homens que já estavam detidos. Um deles, Flavio, filho que chegou a ser apontado como autor dos disparos, e Marcos, um ex-policial militar. Lucas, filho da vítima que já tinha sido detido por ter adquirido a arma usada no crime, também foi denunciado na Operação.

Flordelis teria tentado matar o marido quatro vezes antes do crime

Segundo informações passadas pela polícia, antes do crime realizado em junho de 2019, Flordelis já havia tentado por quatro vezes tirar a vida de seu até então marido. Em uma dessas vezes, a deputada teria tentado cometer o assassinato colocando veneno na comida do pastor.

Após o resultado da Lucas 12, a equipe de reportagem do G1 chegou a entrar em contato com a defesa da viúva, contudo, até o momento deste publicado ainda não havia sido obtida uma responsa.

PSD suspende filiação da deputada

Depois que Flordelis virou ré no caso, o PSD divulgou uma nota oficial comunicando a “suspensão imediata” da filiação da parlamentar.

Agora, Flordelis responderá na Justiça por cinco crimes: falsidade ideológica, homicídio triplamente qualificado –crime por motivo torpe, que acontece por meio cruel e sem a possibilidade para que a vítima se defenda–, associação criminosa e uso de documento falso. Além destes, por causa do envenenamento, Flordelis também responderá por tentativa de homicídio.

Nesta manhã a Polícia Civil saiu para cumprir mandados de busca e apreensão em 17 endereços, entre eles, o da deputada federal, local onde aconteceu o crime, e nesta segunda aconteceu a prisão de quatro filhos da vítima.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!