Infelizmente a violência contra a Mulher aumenta a cada dia mais, no mundo inteiro. Mulheres estão sendo covardemente agredidas e mortas por seus parceiros, pessoas que deveriam amar e proteger. Uma brasileira, que mora na Itália, quase perdeu a vida e passou um mês em uma UTI após ser brutalmente agredida pelo seu noivo.

Mulher é agredida na Itália e quase morre

O Itamaraty está acompanhando o caso de uma brasileira que sofreu agressão do noivo no mês de junho e quase faleceu. Carolina Paiva de Souza, de 26 anos, que é natural de Alfenas, em Minas Gerais, desabafou ao G1 e contou tudo que ocorreu no dia em que foi agredida pelo rapaz.

Carolina mora no país europeu há mais de dois anos, quando foi para o local para estudar e trabalhar como dj. Neste ano ela ficou noiva do namorado italiano, de 30 anos, e contou que eles pretendiam se casar no mês de dezembro. A agressão ocorreu em Palermo, região da Sicília, quando o casal retornava de uma viagem à casa da família dele.

Segundo a moça, eles estavam voltando em um táxi quando o noivo disse que estava ficando nervoso e que precisava parar para rezar. Ela contou que o rapaz pediu ao motorista do táxi para parar o carro, que ele ia encontrar uma igreja, e pediu que a noiva fosse junto.

Agressão ocorreu em um estacionamento

Carolina contou que foi com o noivo e quando chegaram perto de um estacionamento vazio, ele a pegou pelo pescoço, tentando quebrá-lo por duas vezes.

Ela conta que perguntou a ele o porquê das agressões e o mesmo mandou que ela ficasse quieta e não pedisse ajuda, enquanto continuou a agredi-la. Até então não havia histórico de violência física entre o casal.

Segundo a moça, o rapaz começou a lhe dar socos, quebrou o seu nariz e bateu seu rosto no chão.

Ela conta que perdeu a consciência e as câmeras do local flagraram ele quebrando uma garrafa e cortando o seu pescoço. Acreditando que a mulher estivesse morta, ele arrastou seu corpo e jogou debaixo de um trailer.

Quando voltou para o veículo, o rapaz disse ao motorista que a noiva tinha ido embora, mas como estava sujo de sangue, o taxista acionou alguns policiais que se encontravam na região.

A mulher foi encontrada em um canteiro de flores, quando conseguiu pedir ajuda, mas depois voltou a desmaiar. Ela contou que, quando acordou debaixo do trailer e percebeu que não conseguiria andar por estar muito machucada, se rastejou até um lugar para pedir ajuda. O homem foi preso em flagrante e ficará detido até o julgamento.

Recuperação da brasileira

Devido às fortes agressões, Carolina teve traumatismo craniano e diversos ossos quebrados. Ela ficou em coma e teve que ser submetida a uma cirurgia, além de passar por três tentativas de reanimação e por transfusões de sangue. Hoje em dia, ela está em casa, mas em um lugar secreto, com a proteção da Polícia. Ela contou que foi procurada ainda no hospital pelo Consulado Brasileiro, que ofereceu ajuda e suporte jurídico.

A jovem contou que foi horrível tudo que passou, mas que pretende recomeçar a sua vida. Ela disse que lutará por justiça até o fim e que tudo que passou a fez acreditar que está aqui para alguma missão e que pretende ajudar outras mulheres vítimas de violência.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Relacionamento
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!