Na última quinta-feira (30), Gilmara da Silva, de 45 anos, morreu durante seu expediente de trabalho por asfixia mecânica. A casa dos patrões de Gilmara fica na zona oeste do Rio de janeiro, no bairro da Freguesia.

A cozinheira chegou a ser socorrida no local pelos filhos do casal de idosos, que são proprietários da residência, e também pelo cuidador do casal, porém, não resistiu e veio a óbito.

O caso

Após o ocorrido, os familiares de Gilmara foram avisados de sua morte e, de acordo com os moradores do imóvel, onde ela trabalhava, encontram a cozinheira caída no chão da lavanderia.

A mulher foi encaminhada para atendimento médico no Hospital Cardoso Fontes.

A equipe médica que atendeu a cozinheira relatou à família que haviam encontrado alguns hematomas no corpo dela e que apresentava sangramento nos ouvidos e no nariz.

A família recebeu também a notícia de que Gilmara não havia morrido de causa natural, mas sim devido a uma asfixia mecânica.

Filha de Gilmara

A filha de Gilmara, Michele da Silva, acredita que houve ato criminoso na casa dos patrões da mãe, que, de acordo com ela, trabalhava no local há pelo menos um ano.

Michele relatou que a mãe saiu de casa para cumprir sua jornada de trabalho e não voltou e que sua morte não foi de causa natural. De acordo com a filha, o marido de Michele, seu pai, recebeu a notícia apenas ao meio-dia, quando a cozinheira já estava internada no CTI do hospital.

Após receber a informação, pai e filha seguiram até à instituição de saúde, acreditando que ela tinha sofrido alguma queda resultante de um mal-estar ou uma crise hipertensiva, porém, ao conversar com a equipe médica, foi-lhes relatado que haviam sinais de agressão e violência física.

As informações médicas contradizem a versão apresentada pelos patrões de que Michele foi encontrada caída no chão da casa.

Dia do pagamento

Ainda de acordo com relatos da filha, Gilmara havia conversado com a família sobre alguns desentendimentos com um novo funcionário da casa, um enfermeiro, que foi contratado para cuidar do casal de idosos devido às complicações de saúde.

O homem apresenta um quadro de depressão e a mulher idosa tem feridas nas pernas.

Michelle conta que a mãe reclamava que o recém-chegado na casa atrapalhava constantemente seu trabalho na cozinha e que o dia de sua morte era o dia dela receber o pagamento.

A cozinheira também relatou à família que a chegada do novo enfermeiro ocasionou uma piora no quadro de saúde da idosa e que nenhum dos dois velhinhos gostava dele.

Michelle acreditava que ele queria que ela saísse do emprego ou fosse demitida.

Investigações

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios. De acordo com os policiais, os envolvidos já foram interrogados.

De acordo com a filha da vítima, a família não recebeu nenhum tipo de apoio dos patrões da mãe, que nem ao menos sabem se ela recebeu o salário devido, afirmando que pretende solicitar proteção da Polícia, Michelle diz que decidiu divulgar e expor a história como prevenção caso algo venha a acontecer com ela.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!