Em entrevista exclusiva ao site ContilNet, do Acre, Bruninho Samudio, de apenas 10 anos, filho do goleiro Bruno com Eliza Samudio, falou sobre a contratação do pai para goleiro do Rio Branco Football Club, repudiando o fato. O goleiro Bruno se mudou para o Acre para jogar neste time. Sônia da Silva Moura, de 55 anos, avó de Bruninho e mãe de Eliza, também critica a contratação do atleta condenado por mandar matar sua filha.

Relatos de Bruninho

Ao lado da avó materna, que tem a guarda definitiva do neto desde 2012, o pequeno Bruninho disse que o pai deveria ter recebido uma pena de prisão perpétua.

O filho de Eliza ainda diz que acha uma grande sacanagem tirar a vida de um ser humano, que não existe no mundo nenhum motivo que justifique uma atitude destas e que pelo crime cometido o pai deveria no mínimo ter sido condenado à prisão perpétua. As declarações de Bruninho foram dadas em entrevista exclusiva ao site ContilNet.

Sequestro

Além do crime de assassinato da modelo, Bruno Fernandes também foi acusado de sequestrar o próprio filho com poucos meses de vida, logo após a morte da mãe. Três meses após o desaparecimento de Eliza, o garoto foi encontrado em uma favela na cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais. Na ocasião a Polícia encontrou Bruninho sujo e com fome, contou a avó.

Entrevista

Ainda através de áudios enviados a ContilNet, o filho de Eliza relatou que o pai é uma ameaça não só para ele mas para sociedade como um todo, e afirmou que se sente muito ameaçado pela presença dele.

Relembre o caso

Eliza Silva Samudio era modelo, atriz e mãe de um filho com o goleiro Bruno Fernandes. Ela desapareceu no ano de 2010. Durante as investigações policiais, uma das testemunhas do caso relatou que Eliza tinha sido assassinada por estrangulamento sendo esquartejada em seguida e enterrada em meio a uma camada de concreto. O fato do goleiro Bruno Fernandes ser um dos elabores do terrível crime, fez com que o caso Eliza Samudio ficasse conhecido internacionalmente.

De acordo com relatos do processo, o goleiro Bruno afirma que teve relações íntimas com a vítima em uma festa onde acontecia uma orgia, e que durante o ato, a camisinha teria rompido. Após a festa, os dois se aproximaram e iniciaram uma relação, onde Bruno prometeu que deixaria sua atual esposa para ficar com a atriz, que largou os trabalhos a pedido dele.

O relacionamento terminou quando Eliza anunciou a gravidez e se recusou a abortar, como o goleiro queria. Eliza relatou a polícia que estava sofrendo agressões de Bruno e seus amigos e que foi mantida em cárcere privado e obrigada a tomar abortivos.

Em 10 de fevereiro de 2010, o pequeno Bruninho nasceu, e o atleta teria recusado a paternidade, alegando que ambos não tinham um relacionamento e que a atriz pretendia dar um golpe da barriga para extorquir dinheiro. A mãe entrou com processo judicial pedindo reconhecimento da paternidade.

As denúncias, agressão e exigência de pensão para o filho acabaram atrapalhando a carreira e imagem de Bruno. Um tempo depois, Eliza desapareceu e as investigações levaram ao goleiro e alguns amigos. Bruno foi condenado pela morte de Eliza Samudio a 20 anos e 9 meses.

Em 19 de junho de 2019, o goleiro Bruno teve regime semi-aberto concedido e saiu da prisão.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!