Por volta das 10h30 desta quarta-feira (19), um menino de apenas 9 anos caiu da janela do apartamento onde morava no quarto andar, não resistiu aos ferimentos e veio a óbito no local. O caso aconteceu no bairro Santa Lúcia, em Belo Horizonte, Minas Gerais.

A queda

De acordo com o major Mauro Júnior, da Polícia Militar, o menino de 9 anos estava em casa com a empregada doméstica, porém ele morava com a mãe, o pai, uma irmã e uma avó.

A mãe relatou que pouco antes da queda ela teve uma discussão com o filho pelo intenso uso do computador. Após explicar que ele já estava lá há muito tempo, a mãe desligou o computador, e o garoto acabou ficando muito irritado.

No entanto, a avó tinha uma consulta médica, e a mãe precisou sair logo após o atrito.

O menino identificado como M.S. tentou aproveitar que ficou sozinho com a empregada e sair do prédio, no entanto, o porteiro impediu a sua saída, e M.S. então retornou para casa. Instantes depois a empregada escutou um grito e já o viu na calçada, desacordado. Imediatamente ela ligou para o pai de M.S. e para a polícia Militar.

Tela de proteção

A janela do apartamento do qual o menino caiu tinha tela de proteção. De acordo com o major, a tela foi cortada. No parapeito tinha uma tesoura e em cima da cama foi encontrada uma faca. Os indícios iniciais sugerem que ele mesmo cortou e pulou do prédio, e não foi arremessado, porém as equipes periciais foram enviadas ao local pela Polícia Civil que segue responsável pelas investigações.

M.S. caiu de uma altura de 15 metros, e os bombeiros e militares foram acionados para prestar socorro ao menino, porém quando chegaram ao local, ele já estava sem vida e um médico já havia atestado o óbito.

Familiares

O pai do garoto, bastante abalado com a situação, relatou ao major que ele era uma criança muito calma, tranquila e inteligente, sem indicativos de um perfil depressivo.

A mãe entrou em estado de choque ao receber a notícia de que seu filho estava morto e chegou a ser levada para atendimento em um hospital. Sua irmã mais velha, de 18 anos, estava muito emocionada e abalada.

A empregada, que cuidava do almoço e demais afazeres da casa no momento do incidente, também precisou ser amparada, e recebeu ajuda e apoio dos vizinhos da família.

Hipótese

De acordo com o major do 22º Batalhão, a hipótese inicial é de autoextermínio (ação de exterminar a si próprio), porém um inquérito será instaurado e o caso será investigado para confirmação. O corpo do menino já foi encaminhado para o IML (Instituto Médico Legal).

A equipe pericial esteve no local para avaliar toda a cena do incidente, e ainda nesta quarta-feira (19), as autoridades devem se manifestar oficialmente sobre o caso.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!