Um crime assustou moradores de Canelinha, em Santa Catarina, no último mês de agosto. Segundo a Polícia, Rozalba Grimm planejou o assassinato da professora Flávia Godinho para roubar o bebê de sue ventre. De acordo com os investigadores do caso, a suspeita também estava grávida, porém, perdeu o bebê aos 3 meses de gestação.

A mulher teria escondido a informação dos familiares. Rozalba teria atraído Flávia sob a alegação de que a gestante ganharia um chá de bebê surpresa. Em uma cerâmica abandonada, ela teria assassinado a professora e retirado o bebê de seu ventre com a ajuda de um estilete. A família da vítima passou a desconfiar do sumiço de Flávia e contatou a polícia.

Rozalba chegou a compartilhar um pedido de ajuda para localizar a amiga através das redes sociais. A suspeita levou o bebê a um hospital e relatou que teria ganhado a criança em casa. Após constatar que a criança era prematura e possuía cortes nas costas, os médicos chamaram a polícia. A bebê recebeu alta hospitalar no último domingo (6).

Bebê estaria bem de saúde

De acordo com o portal G1, a bebê de Flávia Godinho deixou o hospital infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis, após se recuperar dos ferimentos provocados ao ser retirada da barriga da mãe. Rozalba Grimm e o marido, que teria sido conivente com o crime, foram denunciados por homicídio qualificado e tentativa de homicídio qualificado, em relação à bebê.

Segundo informações de amigos próximos à família, a bebê apresentaria um bom quadro clínico. Mais informações não teriam sido divulgadas a fim de preservar a privacidade da família que ainda enfrenta o luto pelo crime brutal. O Conselho Tutelar de Florianópolis acompanhará a situação da criança.

No último sábado (5), amigos e familiares de Flávia participaram de uma carreata em homenagem à professora.

A missa de sétimo dia foi realizada na igreja de Sant'Ana, no centro de Canelinha. Após a missa, cânticos foram entoados e poemas foram lidos como forma de relembrar a memória da professora. O casal está preso preventivamente enquanto aguarda julgamento.

Premeditação do crime

O programa "Fantástico", exibido pela Rede Globo, produziu uma matéria completa sobre o caso.

De acordo com trechos do depoimento de Rozalba obtidos pela produção do programa, a mulher teria premeditado o crime e planejado cada detalhe, desde o local até o objeto que usaria para tirar a vida de Flávia.

Durante toda a falsa gravidez, Rozalba fez com que todos acreditassem que, de fato, ela esperava um bebê. A mulher chegou até mesmo a organizar um chá de fraldas virtual, além de escolher o nome da criança. Ainda de acordo com o programa, Rozalba também havia entrado em contato com outras mulheres grávidas antes de assassinar Flávia Godinho.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!