Um crime bárbaro aconteceu no oeste da Bahia. Uma menina de apenas 11 anos foi abusada e engravidou. O tio da menina foi preso como principal suspeito do crime. O homem foi preso na cidade baiana de Ibotirama, mas o crime aconteceu em Irecê.

No último sábado (5), o homem foi encontrado sem vida na cela da delegacia onde estava detido. Segundo informações da Polícia, ele tirou a própria vida.

Suspeito de abusar da sobrinha de 11 anos

O crime de abuso de menor foi denunciado no dia 6 de agosto pelo Conselho Tutelar de Ibotirama. A polícia investigou o crime na cidade de Irecê, onde o crime contra a menina foi cometido.

O Conselho Tutelar denunciou o abuso após a menina dar à luz o bebê. Não há informações sobre o local onde a menina deu à luz, nem quando foi o parto. Ela e o bebê seguem sob custódia do Conselho Tutelar.

De acordo com policiais, quando um dos agentes foi levar o café da manhã para o homem, ele estava caído no chão, já sem vida. A perícia foi feita no local e determinou que a causa do crime foi suicídio.

Outra menina abusada que engravidou

Infelizmente, o caso da menina de 11 anos que foi abusada e deu à luz um bebê fruto do crime não é uma raridade. Todos os dias crianças sofrem abuso de alguma natureza e em grande parte dos casos o crime é cometido por alguém próximo à família e até mesmo da família.

Não são todos os casos que são noticiados, mas recentemente uma menina conseguiu o direito de interromper a gravidez após ser abusada pelo tio.

A menina, que por ser menor de idade não foi identificada, era abusada desde os 6 anos pelo tio. Aos 10 anos a mesma engravidou. O crime ocorreu em São Mateus, Espirito Santo.

A menina que estava com muitas dores, foi levada ao hospital, chegando lá os médicos notaram que a barriga dela estava estufada e fizeram um exame de sangue.

O resultado, uma gravidez de três meses. Após a descoberta dos médicos, a menina tomou coragem e contou que o tio estava abusando dela desde que tinha 6 anos –o homem tem 33.

Segundo informações, a garota nunca denunciou o caso por medo das ameaças que sofria do homem. Após ser denunciado e a história repercutir na internet, o homem fugiu, mas foi preso.

A garota ganhou o direito de interromper a gravidez na Justiça, o pedido teve de ser feito já que no Brasil o aborto é ilegal. A família da menina, assim como ela, entraram no programa de proteção à testemunha após interromper a gravidez. Eles se mudaram e vivem em uma casa com aluguel pago e um auxílio financeiro que pode durar até quatro anos, além de receberem novas identidades.

A medida teve de ser tomada após a repercussão do caso e os ataques de religiosos fanáticos que a menina recebeu. A identidade da garota chegou a ser divulgada na internet.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!