Gustavo Neves de Aguiar, de 20 anos, estava desaparecido desde o último dia 27 de agosto, em Bertioga, no litoral de São Paulo. Na última quinta-feira (10), a família do jovem recebeu a notícia de que Gustavo foi encontrado morto dentro de um saco de lixo, próximo à rodovia Rio-Santos, no dia 31 de agosto.

Enterro

No dia 1° de setembro, Gustavo foi enterrado no cemitério de Bertioga como indigente. Em entrevista ao portal UOL, Silvana Araújo dos Santos, tia de Gustavo, relatou que a família não conseguiu entender o fato e questiona o enterro realizado desta maneira, sem que nenhum comunicado tenha sido enviado à família sobre o aparecimento de um corpo, uma vez que o jovem estava desaparecido.

Silvana relatou ainda que conversou com o investigador do caso quando foram dar baixa no Boletim de Ocorrência e o questionou os motivos que levaram a Polícia a realizar o enterro sem avisá-los de que o corpo de um jovem apareceu na cidade. O investigador, segundo ela, permaneceu em silêncio.

Ainda de acordo com a tia, o corpo só foi encontrado devido à ajuda de uma mulher que trabalha no Intituto Médico Legal (IML) em Praia Grande.

Redes Sociais

Silvana fez diversas postagens em suas redes sociais pedindo ajuda para encontrar Gustavo. A tia também pensou na possibilidade de que o sobrinho pudesse ter sido preso e ligou para as delegacias. Sem respostas, ela ligou ainda para o IML da Baixada Santista.

De acordo com Silvana, a mulher do IML garantiu que, caso tivesse alguma novidade, entraria em contato com a família. No entanto, a funcionária alertou a tia de que, caso recebesse uma ligação dela, seria uma notícia ruim.

Notícia do corpo

Na quinta-feira (10), Silvana recebeu a notícia tão temida: o seu telefone tocou e, do outro lado da linha, estava a mulher do IML de Praia Grande, dizendo que havia um corpo que poderia ser de Gustavo.

Na conversa, ela perguntou se Gustavo tinha tatuagens e descreveu detalhes. A tia, então, confirmou. Além da notícia de que o sobrinho estava morto, foi comunicado que o corpo já havia sido enterrado como indigente. O pai de Gustavo precisou identificar o filho através de fotos tiradas no IML.

Desaparecimento

O jovem morava na casa da avó desde que era apenas uma criança. No dia 27 de agosto ele saiu de casa para cobrar uma dívida. Silvana relatou que parecia uma despedida, pois o jovem pediu R$ 3 para completar o valor da passagem e, em seguida, disse a avó que a amava muito.

Gustavo não costumava dormir fora de casa. O fato dele não ter voltado na noite do dia 27 causou estranheza na família. Preocupada, a tia entrou em contato com uma ex-namorada do jovem, que relatou tê-lo visto em um baile funk no sábado (29).

Silvana afirma que a família não sabe o que realmente aconteceu com Gustavo. Algumas pessoas relatam que ele foi levado pela polícia, outros que ele foi levado por traficantes por causa de uma dívida.

Só a Justiça pode dizer o que aconteceu", disse a tia.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!