Uma garota de 17 anos foi sequestrada e arrastada para um campo de futebol onde foi abusada sexualmente por onze homens. O caso ocorreu em Tsolo, uma cidadezinha de poucos habitantes na África do Sul, por volta das 22h enquanto a jovem voltava da casa de um amigo.

Os abusos

Segundo informações da Polícia local, a jovem foi arrastada para o campo de futebol e, inicialmente, violentada por quatro indivíduos tarde da noite. Após cometerem o abuso, o grupo abandonou a garota e a deixou para morrer no local.

Pouco tempo depois apareceram mais dois grupos de homens que se aproveitaram da vulnerabilidade da vítima e a violentaram mais sete vezes.

Detetives

Na última quinta-feira (10), foram descobertos detalhes perturbadores da agressão contra a jovem. Os detetives trabalham para encontrar os autores dos abusos, mas até o momento nenhum deles foi identificado ou detido.

A jovem foi violentada primeiramente por um grupo de quatro homens. O segundo grupo, que cometeu os abusos também era formado por quatro indivíduos, o último grupo a violentá-la foi de três homens. Os homens que chegaram ao local posteriormente decidiram continuar as agressões ao invés de ajudá-la, no entanto a polícia informou que não sabem se os grupos são desconhecidos, e tudo aconteceu por acaso ou se as agressões foram planejadas e executadas por todos juntos.

De acordo com o policial Thembinkosi Kinana, as investigações ocorrem no intuito de descobrir a motivação do crime e todos os fatos relacionados ao caso.

África do Sul

No país que já sediou a Copa do Mundo, uma menina tem menos chances de se alfabetizar do que de ser violentada. Estima-se que uma Mulher é abusada sexualmente a cada 27 segundos na África do Sul, e que pelo menos uma a cada três delas serão violadas pelo menos uma vez em suas vidas.

Um dos locais com a maior estatística de agressões contra mulheres, o trabalho de prevenção se torna quase impossível.

Na grande maioria das vezes, os abusos são cometidos por familiares ou pessoas muito próximas da vítima, e geralmente é tudo bem arquitetado, o que faz com que o crime seja cometido em lugar isolado e sem a presença de testemunhas.

A violência machista e doméstica predomina no local. De acordo com um artigo do UOL, publicado em abril deste ano, as estatísticas recentes mostram que a cada três horas, uma mulher é assassinada no país.

A polícia recebe diariamente 110 denúncias de abuso sexual.

Coronavírus

A pandemia de coronavírus acabou agravando a situação que já é desesperadora para a classe feminina. Grande parte das vítimas acabaram presas com os próprios agressores, o que é benéfico aos agressores natos.

As regiões mais pobres contam com superlotação nas casas, e o confinamento fez com que as crianças não pudessem andar livremente e brincar pelas ruas, o que resultou em um aumento de denúncias.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!