Michele Mignone, funcionária pública de 30 anos que mora em Marataízes, Espírito Santo, buscou atendimento médico após sentir um desconforto abdominal, que ela acreditava ser causado por uma hérnia.

No hospital, Michele foi medicada com analgésicos e retornou para sua casa. No dia seguinte, as dores ainda estavam persistindo e aumentaram, e nesse momento a Mulher descobriu que estava grávida.

Michele conta como descobriu a gravidez

A funcionária pública, que já é mãe de duas meninas, contou em entrevista ao site Universa que no dia seguinte à sua visita ao hospital ela sentiu uma forte dor no abdômen e se deitou no sofá de sua casa.

Ela chegou a dizer ao marido que estava "parindo".

Ele deu risada da situação e disse que isso não era possível, já que Michele fazia uso de anticoncepcional. A funcionária pública disse que desconfiou do parto, pois foi a mesma sensação de quando deu à luz as outras filhas.

Antes que fosse socorrida pelo resgate de sua cidade, Michele pediu ajuda a um primo que é formado em enfermagem e exerce a profissão.

A funcionária pública deu à luz na sala de sua casa, e o resgate chegou apenas depois do nascimento da criança.

Michele deu à luz em sua casa

Depois de ter a filha, que foi batizada como Cecília, na sala de casa, o socorro chegou e as levaram ao hospital. A menina, que passou nove meses na barriga da mãe sem dar sinais, nasceu saudável, ela media 50 centímetros e pesava três quilos.

O parto de improviso aconteceu no dia 18 de maio, e a garotinha, que está muito bem, já tem três meses de vida.

Michele Mignone é funcionária pública na saúde e estava na linha de frente do combate ao novo coronavírus. Ela fazia uso de anticoncepcional injetável e já tinha sugerido ao marido uma vasectomia.

Gestação assintomática

A grande maioria das mulheres tem enjoo, dores e desejos durante a gestação, mas Michele, além de estar se prevenindo com o uso de anticoncepcionais, não teve nenhum sintoma que denunciasse uma gestação em andamento, e nem sequer viu a barriga crescer ao longo dos nove meses.

Tanto que até em uma foto tirada um dia antes de Michele dar à luz em sua casa, a barriga era quase imperceptível.

A mulher chegou a procurar ajuda médica no fim do ano passado por conta de uma protuberância no umbigo e foi diagnosticada com hérnia.

Michele ainda falou sobre o susto de ter um bebê de maneira tão inesperada. Ela agradeceu a todas as pessoas que fizeram doação de itens para a sua filha Cecília e para ela, e ainda agradeceu pelos gestos de carinho vindos de amigos, parentes e pessoas desconhecidas. Michele disse que Deus age através das pessoas e que elas se tornaram anjos em sua vida e na vida de Cecília.

A criança nasceu sem problemas e agora, aos três meses e meio, segue com a saúde impecável.

Siga a página Mulher
Seguir
Siga a página Maternidade
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!