Um crime bastante inusitado ocorreu na tarde desta última segunda-feira (12), dia de Nossa Senhora Aparecida. A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ) prendeu um homem responsável por arremessar um botijão de gás através de uma das janelas do apartamento onde mora.

O edifício é localizado em Copacabana, no Rio de Janeiro. O botijão de gás acabou atingindo um pedestre que caminhava pela calçada. O objeto caiu diretamente na cabeça da vítima, que não resistiu ao forte impacto e acabou vindo a óbito no mesmo instante.

O caso

Após a morte, a Polícia Militar e a equipe do Corpo de Bombeiros da região interditaram as ruas Djalma Ulrich e Miguel Lemos para finalizar a ocorrência.

O homem responsável por atirar o objeto tem 33 anos e foi encaminhado à 13ª DP. Uma mulher, suposta irmã do acusado, que testemunhou o momento do crime, alegou em depoimento que o homem tem transtornos mentais e que durante o ocorrido ele passava por um surto psicótico.

Ainda de acordo com informações da irmã, Venilson da Silva Souza está sob tratamento psiquiátrico e psicológico e esta não foi a primeira vez que ele passava por um surto. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro, local para onde ele foi encaminhado após passar pela 13ª DP.

Além de arremessar o botijão de gás, no momento do surto, Venilson teria jogado outros objetos de sua residência e também partes do fogão da casa.

Apesar dos relatos da irmã, a motivação do crime e detalhes mais aprofundados seguem sendo investigados pelas autoridades.

Vítima

Segundo informações da Polícia Militar, a vítima era bastante conhecida na região, pois trabalhava como vendedor de frutas e morava nas ruas de uma comunidade conhecida como Pavão-Pavãozinho.

As pessoas da região o conheciam por Tronco.

Após ser atingido pelo botijão, populares chegaram a acionar uma equipe do Corpo de Bombeiros de Copacabana na tentativa de salvar o rapaz. Após o chamado, uma ambulância do Samu foi encaminhada para atendimento da ocorrência, no entanto, ao chegar no local indicado a equipe constatou que Tronco já estava morto.

Até o momento não havia sido divulgada a identidade real da vítima, apenas o apelido.

De acordo com informações fornecidas pelo COR (Centro de Operações da Prefeitura) as duas ruas foram fechadas para que a equipe pericial pudesse executar e finalizar seus trabalhos de forma adequada. A região é bastante movimentada e tem grande concentração de pedestres. A Equipe Técnica Pericial estava no local por voltas das 16h50.

O crime foi divulgado pela própria Policia Militar do Estado do Rio de Janeiro através de suas redes sociais.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!