No dia 19 de setembro, uma mulher de Americana, cidade do interior do estado de São Paulo, postou um vídeo em seu perfil nas redes sociais onde oferece maconha para um filhote de cachorro da raça pitbull. A mulher será acusada de maus-tratos a Animais.

O caso

A pesar do caso ter ocorrido no dia 19 de setembro, a acusada foi encontrada apenas na última quinta-feira (8) e responderá em liberdade pelo crime de maus-tratos, além de ser condenada a pagar uma multa com valor ainda não estabelecido.

Ana Beatriz Rocha era tutora da filhotinha de pitbull Maya, com pouco mais de dois meses de vida.

Vídeo

Na postagem, Ana Beatriz aparece no interior de um carro identificado como sendo de seu namorado.

O namorado segura maconha em suas mãos e na gravação ele a oferta dizendo: "Aqui ó". Logo em seguida pode-se observar Beatriz incentivando a filhotinha a comer a droga: "Come tudo mano".

A situação parece bastante divertida para o casal, que durante a conversa menciona o fato de que a filhote come tudo como se fosse um aspirador de pó. Na sequência dos Stories de Ana Beatriz, Maya aparece em um momento de total desânimo.

Delegado

Bruno Lima, que além de delegado da Polícia Civil é deputado estadual pelo partido PSL, recebeu denúncias através de seu perfil nas redes sociais. A localização da casa de Ana Beatriz também foi enviada ao delegado.

Após receber as denúncias e a localização, Bruno se dirigiu ao endereço da denunciada no intuito de descobrir se as acusações procediam.

Ao chegar ao local, o delegado foi confrontado pela suspeita de maus-tratos e posse de drogas.

Durante o confronto com Bruno, Ana Beatriz questionou se agora teria que explicar motivos em tom de ironia. O delegado respondeu afirmando que seriam dois crimes que ela deveria esclarecer.

Delegacia

O delegado executou a ocorrência com o apoio da Guarda Armada Municipal e encaminharam Ana Beatriz à Central de Polícia Judiciária de Americana, na qual registraram um BO (boletim de ocorrência).

Ao prestar depoimento, a jovem foi bastante ousada e afirmou que deu a maconha a Maya porque a filhote era dela e, assim sendo, poderia dar o que quisesse a ela. Ana Betriz responderá em liberdade por ambos os crimes.

Maya

A cachorrinha Maya foi encaminhada à ONG Animais Têm Voz e agora está em um lar temporário e bem amparada.

De acordo com a instituição, Maya não apresenta nenhum tipo de sequela, no entanto, a filhote ainda não foi disponibilizada para adoção.

Uma das voluntárias da ONG, Roberta Dias Lima, explicou que para ser encaminhada para adoção, a instituição necessita ter a guarda de Maya, isto ainda não ocorreu. No entanto, precisam aguardar o direito para posteriormente encaminhar Maya a um novo lar.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Animais
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!