O senador Chico Rodrigues (DEM-RR), vice-líder do Governo Bolsonaro no Senado, foi alvo de uma operação realizada pela Polícia Federal nesta quarta-feira (14).

Investigação

A investigação, que ocorria sob sigilo, apura o desvio de recursos voltados ao combate a pandemia do novo coronavírus estabelecidos através de emendas parlamentares. Durante a abordagem policial foi encontrado um montante em dinheiro dentro da cueca do investigado. O ministro do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso, foi o responsável por autorizar a busca e apreensão.

Valores

Após realizarem apurações com fontes que tiveram acesso direto às informações sobre a operação da Polícia Federal, o jornal O Estado de S.Paulo revelou que o vice-líder do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) tinha R$ 30 mil dentro da cueca.

Além do montante, foram encontrados outros valores na casa do vice-líder, no total cerca de R$ 100 mil.

Ainda de acordo com as informações, a operação visa contratações irregulares realizadas com dinheiro público alcançando sobrepreço de até R$ 1 milhão.

Polícia Federal

A operação, que segue em segredo de Justiça, teve revelações bastante limitadas por parte da Polícia Federal. Os agentes relataram que executaram sete mandados de busca e apreensão que dizem respeito a desarticulação de um esquema criminoso onde as verbas destinadas ao combate ao coronavírus foram desviadas.

A operação intitulada como Desvid-19, em Roraima, tem como objetivo apurar desvios realizados através de licitações. As informações são da Controladoria-Geral da União, que participa do processo de investigação.

Segundo a instituição, os prejuízos aos cofres públicos causados pelas contratações consideradas suspeitas chegam a R$ 20 milhões. O montante deveria ter sido direcionado para o combate à pandemia do novo coronavírus.

Jair Bolsonaro

Ironicamente, o senador e vice-líder do governo foi alvo da operação justamente no dia em que o atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido) declarou que daria uma voadora no pescoço de quem se envolvesse em casos de Corrupção.

Outro fato curioso é que o novo escândalo ocorreu uma semana após o fim da operação Lava Jato, sobre argumento de que seu governo estava completamente livre de qualquer tipo de corrupção.

O fim da corrupção anunciado pelo presidente vem causando controvérsias entre a população. Militantes e lavajistas estão se manifestando fortemente em crítica ao presidente apontando que a pauta do governo anticorrupção foi consideravelmente enfraquecida pela decisão do atual presidente.

O senador Chico Rodrigues é empregador de um primo dos filhos de Bolsonaro, Léo Índio. Além de ser bastante próximo do filho de Bolsonaro, Carlos Bolsonaro, Léo Índio tem livre acesso dentro dos estabelecimentos no planalto.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!