A gastronomia e outras artes como a música não possuem fronteiras e a moussaka é um dos belos exemplos de refeição que faz sucesso em países culturalmente diferentes e vizinhos.

Mesmo conhecida como um prato grego, a palavra “moussaka” é de origem árabe e significa “fresco”. Mas é só isso, se levarmos em consideração como a conhecemos no Brasil. Sua apreciação e consumo se dão na área dos Bálcãs da Europa em lugares como a Macedônia, a Bulgária, a Sérvia e a Romênia.

Entretanto, são a Grécia e a Turquia que rivalizam o ‘glamour’ e a elaboração mais conhecida do prato.

A versão turca privilegia os tubérculos e legumes como a batata, o pimentão verde e o tomate. Para acompanhamento, os turcos preparam um arroz e uma salada de pepino.

Já a versão mais conhecida ao redor do mundo é a grega, quando em 1910, o chef de cozinha Nikolaos Tselementes elabora o prato em camadas de carne de carneiro picada, tomates e molho branco, indo ao forno.

Tanto a variação vinda da Turquia como a da Grécia usam como ingrediente comum – e principal – a berinjela. Apesar de o mundo árabe ter batizado essa gostosura, eles fazem da iguaria uma salada com berinjelas e tomates.

Uma unanimidade encontrada em todos as versões é o emprego de ervas como o tomilho e o orégano. Em regiões como Montenegro, Romênia e Bulgária a berinjela não é o astro da moussaka.

Nestes locais, prefere-se a abobrinha e se retira o molho branco.

Com tantas opções de incluir ou não ingredientes, é melhor optar por uma receita básica; se bem que o leitor encontrará sugestões com vinho, hortelã e louro.

Ingredientes:

2 berinjelas grandes

500 g de carne moída (pode-se utilizar de boi ou de carneiro)

5 tomates cortados em cubos

Azeite de oliva extravirgem

6 batatas (de tamanho médio)

1 cebola e 2 dois dentes de alho

Sal e pimenta-do-reino a gosto

1 colher de chá de canela em pó

Queijo parmesão ralado para decorar

Para o molho branco:

1 colher de sopa de manteiga

1 colher de sopa de farinha de trigo

250 mil de leite

¼ de colher de chá de noz moscada em pó

Sal e pimenta-do-reino

Modo de preparo:

Em relação ao preparo do molho de tomate: corte a cebola e refogue numa panela.

Em seguida, coloque a carne moída, os tomates, o azeite de oliva, a canela e o alho. Acrescente o sal e a pimenta. Misture bem e deixe refogar.

Pegue as berinjelas (em fatias ou rodelas, como preferir) e tempere com sal. Coloque-as numa peneira, retirando a água no período em que ficou de molho. Reserve.

Caso queira adicionar batatas, descasque-as em fatias finas e as coloque no fundo de uma travessa.

Umedeça com um pouco de molho de tomate e leve-as ao forno por cerca de 8 a 12 minutos até ficarem douradinhas.

Enquanto isso, volte às berinjelas: passe um pano úmido a fim de ficarem bem sequinhas. Frite as fatias/rodelas na frigideira com um pouco de azeite. Retire as fatias e ponha num prato forrado com papel absorvente. Reserve.

Concentre-se na elaboração do molho branco, derretendo a manteiga numa panela e juntando a farinha de trigo. Depois, agregue o leite e misture bem com um batedor. Diminua o fogo e monitore a feitura por uns 10 minutos, mexendo de vez em quando. Por fim, tempere com noz moscada, sal e pimenta a gosto.

Por cima da primeira camada – a das batatas – coloque uma camada do preparo de carne moída e molho de tomate.

A próxima camada será a de berinjelas. Faça novamente o processo até finalizar com a camada de berinjelas. No topo, derrame o molho branco e polvilhe com o queijo ralado. Asse por 30 minutos ou quando dourar.

Rendimento: 4 pessoas

Siga a página Relacionamento
Seguir
Siga a página Culinária
Seguir
Siga a página Literatura
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!