O continente africano já apresenta ao menos 1.200 casos de pessoas infectadas com o novo coronavírus. Ainda que o impacto tenha sido menor que na Ásia e Europa, as autoridades locais já apresentam enorme preocupação devida à falta de recursos médicos necessários para controlar o surto. É de conhecimento de todos que a África possui pouquíssimos recursos, e que há locais em que as pessoas mal têm condições de moradia, alimentação e até mesmo de lavar as próprias mãos

De acordo com uma afirmação dada pela Ministra da Saúde da Nigéria, Silvia Lutucuta, em uma entrevista coletiva realizada neste sábado (21), a maior parte dos casos confirmados são de pessoas que regressaram do exterior ou de estrangeiros.

Devido a isso, uma das medidas tomadas foi o fechamento dos aeroportos para voos internacionais.

Sabe-se que a Nigéria é o país mais povoado do continente e registrou só neste sábado mais 10 casos confirmados para coronavírus, por isso aeroportos foram fechados para voos internacionais por 30 dias. O primeiro caso ocorreu há três semanas e, de acordo com as autoridades de saúde, o infectado que havia estado em território italiano, já pode receber alta do hospital.

Em relação a isso, a África do Sul possui o maior número de casos confirmados, contabilizando 240 infectados.

Zimbábue também relatou seu primeiro doente na última sexta, e no sábado, nas Ilhas Maurício, o total chega a 14, com confirmação de um falecimento. A vítima tinha viajado para a Bélgica.

Portanto, vários países têm tomado medidas radicais para evitar ainda mais a disseminação do novo coronavírus, fechando fronteiras, escolas, e proibindo aglomerações públicas, fechamento de igrejas e lojas, além de recomendações de higiene em casa.

Soma-se atualmente mais de 300 mil casos confirmados com a doença em todo o mundo.

Suspensão de cobrança de energia não é bem aceita

Ainda na útima quinta-feira (19,) uma nota foi divulgada pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) que refuta a possibilidade de suspender o pagamento pelo serviço de energia elétrica. A ideia foi apresentada como medida por alguns estados para ajudar a população durante o caos criada pela pandemia do novo coronavírus no país.

Conforme a Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica, o não pagamento da conta somente poderia ser realizado após ser discutido com todos os que fazem parte do grupo de fornecimento de energia em união à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), pois o não cumprimento do pagamento geraria um enorme risco em todo setor.

Além de que, é necessário também o pagamento de taxas para que estados e municípios possam manter gastos, principalmente na área da saúde. Portanto, foi aprovado um projeto de lei que impossibilita cortes no provimento de serviços indispensáveis por não pagamento de contas, pois o não pagamento gerará acúmulo de cobranças futuramente.

Não perca a nossa página no Facebook!