Na última quinta-feira (19) foi noticiado pelo "Jornal Nacional", exibido no período noturno pela Globo, que a Itália já ultrapassou a China no que se refere ao número de mortes causadas pela Covid-19, doença respiratória provocada pelo novo coronavírus.

De acordo com as informações do telejornal em questão, esse número se torna ainda mais assustador quando pensado de forma comparativa.

Assim, a título de ilustração, mostra-se válido pontuar que na China a doença citada matou 3.249 pessoas. Na Itália, até o presente momento, foram 3.405 mortes.

Entretanto, é importante pontuar também que, em termos de densidade populacional, a China supera a Itália por uma larga vantagem, de modo que a taxa de mortalidade no país europeu se mostra muito mais grave.

Durante a sua reportagem, o "Jornal Nacional" chegou a mostrar imagens de alguns caminhões do Exército italiano transportando os corpos dos mortos por Covid-19 para serem cremados em outras áreas do país. Essas imagens foram um verdadeiro choque a nível mundial.

Entretanto, mostra-se válido destacar que, de acordo com o governo da Itália, não existe outra forma de lidar com a crise a não ser prolongar ainda mais o isolamento no qual o país se encontra até que os casos de coronavírus estejam sob controle.

É válido ressaltar que, ainda na última quarta-feira (18), alguns médicos chineses da cidade de Xangai, chegaram a afirmar que ainda existem muitas pessoas nas ruas. Devido a isso, se faz necessário tomar medidas como o fechamento de fábricas e desinfecção das cidades de uma forma geral, em especial daquelas pelas quais o coronavírus se espalhou muito.

Médico italiano reafirma importância de ficar em casa

De acordo com as informações do "Jornal Nacional", isso é algo diferente do que a Organização Mundial de Saúde recomendou.

O órgão citado chegou a afirmar que uso de máscaras ao circular por espaços públicos era necessário somente para as pessoas já infectadas pelo coronavírus, mas os chineses estão indicando que toda a sua população faça uso das máscaras, em especial os profissionais da saúde.

É possível afirmar que, somente no norte da Itália, cerca de 14 médicos chegaram a morrer em decorrência da Covid-19. Além disso, chegaram a faltar remédios nos hospitais por causa da pandemia. Somente nas últimas 24h, 4.480 casos surgiram na Itália. O "Jornal Nacional" ainda apontou que o número total de casos confirmados no país em questão já ultrapassou a casa dos 40 mil.

Ainda na última quinta-feira (19), um pedido de Stefano Fagiuoli, o chefe de medicina do Hospital João XXIII, localizado em Bergamo, chegou a pedir para que as pessoas fiquem em casa. De acordo com Fagiuoli, a sua equipe está trabalhando 24h para conter a pandemia, mas eles não fazem ideia de quando isso chegará ao fim.

Não perca a nossa página no Facebook!