Falar em universo paralelo pode parecer coisa de filme de ficção científica, mas desta vez esse tema virou assunto jornalístico. Isso porque, a revista New Science publicou um artigo discutindo as anomalias encontradas por cientistas da Nasa em um experimento realizado na Antártida envolvendo os neutrinos.

Rapidamente vários jornais veicularam a notícia de que a Nasa teria descoberto evidências de um universo paralelo, onde as leis da física são ao contrário e o tempo retrocede. Seria fantástico, claro, se fosse verdade.

O que aconteceu de fato foi que um raio cósmico refletiu no gelo da Antártida vindo de dentro da Terra.

Isso não é comum, visto que os raios cósmicos vêm direto do espaço. Então, esses raios, com comportamento estranho, pareceram estar desafiando as leis da física, bem como viajando ao contrário no tempo.

Contudo, segundo o físico Peter Gorham, líder dos experimentos, somente após terem verificado todas as explicações dentro das leis físicas já conhecidas é que partirão para outras hipóteses. Isso, porém, ainda não aconteceu, portanto, não é o momento de falar em teorias de universos paralelos.

As notícias diziam ainda que o big bang teria originado dois universos: esse nosso e outro, onde tudo acontece ao contrário e a fonte dessa fala foi atribuída a Gorham. Entretanto, os experimentos de Gorham na Antártida nada tem a ver com universos paralelos, mas ele analisa as emissões de rádio de neutrinos que interagem com o gelo do local.

Onde tudo começou

Um artigo especulativo ligou as anormalidades verificadas nos neutrinos à possível existência de um universo paralelo. A maneira como o assunto foi discutido no texto possibilitou que outros copiassem a notícia como sendo verdadeira e ainda atribuíssem as tais descobertas à Nasa. Em pouco tempo, já estava traduzida em outros idiomas, sendo assim disponibilizada em vários países.

Líder da pesquisa, Gorham esclareceu o fato em entrevista ao portal Science Alert. "Nesse caso, evidentemente, um ou mais jornalistas avançaram com um artigo que não foi verificado e, por razões que não são claras, atribuíram-nos pesquisas e artigos que nunca escrevemos, e teorias, como as que envolvem universos paralelos, que nem nós, e nem nossos colaboradores, levantamos a hipótese ou discutimos em nenhuma publicação antes que esses resultados fossem atribuídos ao nosso experimento", disse.

A publicação verdadeira nem citou a possibilidade de existirem universos paralelos.

O comportamento dos neutrinos

Neutrinos são partículas subatômicas de massa infinitesimal que possuem carga elétrica nula. Eles não costumam interagir com a matéria normal e dificilmente podem ser detectados. Entretanto, quando são produzidos por objetos poderosamente explosivos do universo a tendência é que se interajam com as massas comuns, pois ganham essas energias super altas desses objetos.

São esses neutrinos que foram detectados na Antártida e que apresentaram comportamento considerado como estranho.

Siga a página WhatsApp
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!