O bebê recém-nascido José Bernardo e sua mãe Maryane da Rocha Santos, de 31 anos, finalmente puderam se encontrar e ir para casa juntos após 73 longos dias de espera devido à contaminação por coronavírus. Maryane deu à luz e precisou esperar quase dois meses para poder segurar o pequeno José em seu colo pela primeira vez.

Nascido no dia 8 de maio hospital Geral Dr. César Cals, em Fortaleza, José Bernardo foi considerado prematuro extremo e ganhou alta apenas na última terça-feira, 21 de julho.

Coronavírus

Segundo a equipe do Hospital de rede pública, Maryane recebeu o diagnóstico positivo de contaminação pelo coronavírus durante a 28ª semana de gestação, o que resultou em quadro de Saúde delicado necessitando de internação hospitalar.

Durante o período em que esteve internada, a mãe de José Bernardo sofreu uma parada cardiorrespiratória que a levou a um coma induzido.

Diante de uma situação extremamente delicada, a equipe médica do hospital precisou agir para salvar a vida do bebê. A equipe, que tinha poucas opções, decidiu realizar uma cesária de emergência dentro da Unidade de Terapia Intensiva, e desta forma veio ao mundo o pequeno guerreiro José Bernardo, pesando 1,359 kg e medindo apenas 40 centímetros.

Relatos da mãe

Maryane ficou em coma induzido por dez dias, e quando acordou diz que pegou em sua barriga e ao ver que ela não estava mais ali, perguntou pelo filho. "Nunca vou esquecer", relatou.

Infectada pelo coronavírus e com um processo complexo em sua cesariana, Mariana se recuperou e ganhou alta hospitalar no dia 22 de maio, porém seu filho recém-nascido permanecia internado na Unidade de Terapia Intensiva neonatal.

Ainda de acordo com a mãe, receber a notícia de que seu pequeno guerreiro poderia ir para casa fez com que ela pulasse de felicidade. Maryane afirma que foi um sentimento indescritível e que ela sente como se tivesse tido ele neste momento.

Bebê

A enfermeira Ana Maria Maia de Mesquita, responsável por acompanhar José Bernardo na fase de internação, relatou que passava as informações sobre o quadro de saúde do recém-nascido todos os dias a Maryane, e como acompanhou o bebê desde que chegou a UTI, ela relata que é muito bom fazer parte do momento em que mãe e filho se encontram e vão justos para casa.

Willzni Sales Rios, a médica pediatra que tratou do caso de José Bernardo, disse que a distância dos pais acaba criando um vínculo maior com o paciente, e que eles fazem o máximo para que todo esse cuidado seja transferido aos bebês. O acompanhamento de José também foi realizado pela família através do envio de fotos, e vídeos.

Alta

Na semana passada, finalmente mãe e filho puderam ir para casa juntos, e a alta foi celebrada por toda equipe que torcia muito pela recuperação de ambos, e a despedida foi realizada em meio a aplausos.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Siga a página Maternidade
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!