No último dia 20 de janeiro, uma enfermeira baiana foi flagrada por uma câmera de segurança aplicando a vacina contra a covid-19 em um homem não incluído no grupo prioritário na primeira fase prevista para a vacinação, em um asilo da cidade de Cruz das Almas, no Recôncavo Baiano. Suspeita-se de que o homem filmado nas imagens recebendo a vacina seja namorado da enfermeira.

Vacinação indevida

A vacinação contra a Covid-19 segue o Plano Nacional de Operacionalização da Vacina, que deve obedecer a uma lista contendo os grupos prioritários que deverão tomar as doses no momento inicial da campanha nacional de vacinação contra o vírus.

Todos aqueles que estiverem fora desta lista, deverão aguardar para receber o imunizante.

Entretanto, no último dia 20 de janeiro, uma câmera de segurança flagrou uma enfermeira no interior da Bahia aplicando uma dose da vacina em um homem fora do referido grupo.

De acordo com as imagens, a funcionária teria dado acesso indevidamente a um homem que, após entrar no asilo com seu auxílio, levanta uma das mangas da camisa e, posteriormente, é imunizado no braço pela enfermeira. Suspeita-se de que o homem revelado nas filmagens seja o namorado da servidora.

Segundo informações, a vacina deveria ser destinada a uma idosa residente do asilo, que havia se recusado a receber o imunizante contra o vírus.

No entanto, consta no relatório de vacinação da cidade que a idosa teria sido imunizada.

Foi aberto um processo administrativo pela prefeitura de Cruz das Almas com o intuito de apurar a denúncia feita contra a servidora da SMS (Secretaria Municipal de Saúde). De acordo com informações, também foi solicitado o afastamento temporário da enfermeira de suas funções, até a que as investigações em andamento possam ser concluídas.

Em nota, a prefeitura da cidade afirmou repudiar atos de “fura fila”, como os revelados pela câmera de segurança, salientando que vivemos um “momento de humanidade, respeito e união pelo bem comum”.

Ordem de vacinação e grupos prioritários

Foi divulgada recentemente pelo Ministério da Saúde a nova lista de grupos que poderão tomar a vacina contra a Covid-19.

Segundo esta lista, mais de 77 milhões de brasileiros deverão ser devidamente imunizados.

Embora os estados e municípios tenham autonomia para montar seu próprio cronograma de vacinação, o Ministério da Saúde recomenda expressamente que os gestores de saúde priorizem a ordem determinada pelo Plano Nacional de Vacinação, seguindo as orientações presentes no Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!