A proliferação do novo coronavírus está atingindo toda a população ao redor do mundo, e isso, é claro, inclui os detentos. As penitenciárias são locais bastante propícios para que os aprisionados sejam contaminados, pois a maioria das celas são superlotadas e úmidas.

Em alguns países, muitos aprisionados estão conseguindo entrar na Justiça e conseguindo a liberdade provisória para cumprir a pena em regime domiciliar. Com isso, nos Estados Unidos, presos tentavam se contaminar propositalmente para receber o benefício. Muitos chegavam a utilizar as mesmas máscaras cirúrgicas e até mesmo copos descartáveis para contrair a doença.

O ato acabou sendo descoberto pelos agentes penitenciários.

O xerife da penitenciária de Los Angeles, identificado como Alex Villanueva, relatou o ocorrido através de uma entrevista coletiva."Havia uma crença errada entre a população carcerária de que, se testasse positivo, de alguma forma nos forçaria a libertar mais detentos do nosso entorno, o que não irá acontecer", contou o xerife.

Outras modalidades também estão sendo realizadas. De acordo com informações do xerife local, Alex Villanueva, da penitenciária North County Correctional Facility, alguns detentos chegaram a se reunir para compartilhar doses de água quente para ir até a enfermaria e dizer que apresenta sinais da doença.

Todos os envolvidos foram ouvidos, mas nenhum revelou o intuito de tal ação.

Villanueva ainda contou que procedimentos de prevenção são realizados nas celas, como a higienização e distribuição de máscaras cirúrgicas para proteger os apenados da pandemia do novo coronavírus.

O caso inusitado está sendo repercutido por muitos veículos de imprensa mundial, já que muitas pessoas estão se protegendo do vírus, enquanto detentos americanos tentam se infectar para ganhar a suposta liberdade provisória.

Estados Unidos

Pesquisadores americanos descobriram que o coronavírus pode ser contraído através dos olhos. Os estudos foram realizados por estudiosos da Universidade Johns Hopkins, que chegaram à conclusão que a presença de células que expressam a proteína ACE2 e a enzima TMPRSS2, que são necessárias para que o coronavírus se multiplique nas células humanas, foram encontradas nos olhos de corpos vitimados pelo vírus, o que pode indicar a contaminação por via ocular.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!