Em entrevista publicada na manhã desta segunda-feira (22) na coluna da especialista em economia Estela Benetti, do portal NSC Total, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, mostrou-se confiante com as medidas do governo do presidente Jair Bolsonaro para acelerar o crescimento econômico do país.

De acordo com informações dispostas, o governo prevê a aceleração da economia do país e, para isso, conta com a liberação parcial do depósito mensal do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), como instrumento para tal.

Mais detalhes serão divulgados em anúncio oficial nesta quarta-feira (24), que contará com a presença de Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes. "[...] É algo positivo para a população", destacou Guimarães, também economista e doutor na área.

A colunista Estela Benetti também informou sobre a visita de Guimarães nestes últimos dias às cidades catarinenses de Florianópolis, Camburiú e Joinvile.

Beneficiados com FGTS e PIS

Estima-se que o pagamento seja feito para mais de 100 milhões de brasileiros e a responsável pelo cumprimento deste desafio será a Caixa Econômica Federal, conforme já informado pelo presidente da instituição.

Segundo Pedro Guimarães, a instituição financeira também deverá atender nos fins de semana.

Concomitante ao que foi dito, nas informações do presidente da Caixa serão mais de 100 milhões de brasileiros beneficiados com o Fundo de Garantia de Tempo e Serviço (FGTS), mais 10 milhões do PIS, o Programa Integração Social. Em suma, um total de 110 milhões de pessoas.

Prioridades da Caixa nesta gestão

Ao ser interrogado sobre o que a Caixa vai priorizar na gestão Bolsonaro, o presidente do banco apontou que o foco vai estar na micro e na pequena empresa, créditos imobiliário e consignado.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Tendências Negócios

Já na parte de infraestrutura, o foco é no saneamento, bem como em coisas estruturantes.

Patrocínios, projetos e parcerias com institutos importantes, como o Instituto Ayrton Senna, também foram acenadas.

Guimarães manifestou a vontade coletiva de ajudar pessoas carentes e deficientes.

Dívidas e renegociação

Para renegociar as dívidas, dois programas foram destacados: um para dívidas em atraso há mais de um ano e outra de renegociação da casa própria.

No primeiro programa o presidente do Banco da Caixa apontou a existência de até 90% de desconto —cabe destacar que este programa vai até o final do ano.

Estima-se que 3 milhões de pessoas e microempresas devem ser beneficiadas.

Com relação ao segundo programa, que trata da renegociação da casa própria, Guimarães denotou a situação de famílias vivendo em situação de perda da casa, ao todo 600 mil famílias, de acordo com o informado, dentre estas, 80 mil já foram beneficiadas com o programa.

Créditos

Créditos também foram citados, inclusive o que reduz o custeio até pela metade para hospitais que atendem pessoas carentes.

No crédito imobiliário a novidade deve ficar por conta do corrigido pela inflação, ou seja, o IPCA (Inflação Acumulada Atual) deve ficar no lugar da TR, a Taxa Referencial.

"[...] Uma coisa que vai revolucionar [...]", disse o economista e presidente da Caixa.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo