O auxílio emergencial começará a ser pago nesta terça-feira (7), pelo menos é o que garantiu Onyx Lorenzoni, ministro da Cidadania. Essa primeira fase irá beneficiar cerca de 18 milhões de trabalhadores informais que já possuem conta na Caixa Econômica Federal e no Banco do Brasil e que já estejam cadastrados no Cadastro Único. Onyx afirmou, ainda, em entrevista à rádio Gaúcha, que o auxílio começará a ser pago no valor de R$ 600.

De acordo com informações do ministro, o Dataprev já está extraindo os dados do INSS, onde consta os dados dos trabalhadores que estão passíveis a receber o benefício.

Aqueles que já possuem conta em um dos bancos citados irá receber o auxílio direto na conta entre terça e quarta desta semana. Em relação aos beneficiários do Bolsa Família, Onyx afirmou que começaram a receber normalmente na folha a partir do dia 16 de abril, conforme o calendário regular do programa.

Instabilidade no governo, na saúde e na sociedade

O Governo federal anunciou na última quarta-feira (1º) que fará o repasse do auxílio emergencial que varia de R$ 600 a R$ 1.200 aos trabalhadores informais que estão sendo prejudicados devido à pandemia do coronavírus que tem se alastrado no Brasil. Diante da grande crise que está provocando uma queda diária na economia brasileira, bem como na mesa daqueles que se enquadram no grupo da pobreza e da extrema pobreza o presidente Jair Bolsonaro tentou esclarecer sua preocupação com esses fatores solicitando que o comércio não parasse.

Contudo, governadores, ministros e grupos de parlamentares discordaram a decisão presidencial e mantiveram as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), que em 21 de janeiro já havia anunciado o risco de uma pandemia mundial do coronavírus que surgiu na cidade de Wuhan, na China.

Percebendo o quadro emergencial de outros países e as crises sociais devido à grande quantidade de mortos e infectados (sem uma previsão de contenção da doença através de vacinas) é que a maioria de gestores mantiveram e mantém até o momento o fechamento do comércio, de escolas, de universidades e demais locais em que possa haver aglomeração de pessoas.

Esse fator tem contribuído para o avanço da pobreza no país. A alternativa em épocas de crise como as guerras e as pandemias é que os governos procurem ao máximo a busca de uma alternativa estratégica que possa viabilizar ao menos a alimentação de seus cidadãos.

Coronavoucher: alternativa financeira emergencial

O auxílio emergencial que foi apelidado de "coronavoucher" surge como uma alternativa proposta pelos governantes para evitar que os brasileiros que estão na linha da pobreza e da extrema pobreza possa passar esses dias um pouco mais aliviados.

Numa entrevista coletiva realizada no Palácio do Planalto nesta segunda-feira (6), nenhuma informação sobre o período do pagamento do auxílio foi divulgada. Mas, o secretário-executivo da Casa Civil, Sergio José Pereira, afirmou que o Ministério da Cidadania e a Caixa já estão trabalhando nisso, e que "em breve" fornecerão mais notícias. Horas mais tarde o ministro da Cidadania deu a notícia na rádio Gaúcha de que o pagamento começa a cair na conta dos trabalhadores informais a partir desta terça-feira (7).

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!