A busca por uma vaga no mercado de trabalho tornou-se mais difícil desde o início da pandemia do coronavírus. Empresas fechando ou reduzindo atividades causaram uma explosão no número de desempregados, que atingiu 14,1 milhões de pessoas no segundo trimestre de 2020, último dado disponível no IBGE. Entretanto, algumas atividades profissionais, mesmo ou por conta da epidemia, tiveram grande procura e continuarão aquecidas neste ano, segundo levantamento rede social profissional LinkedIn.

O trabalho fez um levantamento das carreiras mais procuradas ano passado e que continuarão em alta. Entre elas, têm destaque as ligadas a tecnologia e saúde.

Cargos específicos de atendimento ao cliente, gestão de Negócios e vendas também terão bastante procura por parte dos empregadores, ainda segundo o estudo.

As 15 áreas que sobreviverão com crescimento

Os especialistas do LinkedIn analisaram mais de 15 mil cargos para listar os que mais cresceram em relação a 2019. As tendências levaram em conta critérios como uma combinação de média de crescimento anual com o volume de demanda de empregos. Eles foram divididos em 15 setores: medicina, tecnologia, farmácia e pesquisas, vendas, comércio eletrônico, autônomos de conteúdo digital, especialistas em marketing digital, finanças, telemarketing, apoio à saúde, serviços criativos, análise de dados, atendimento e negociação com clientes, varejo e saúde mental.

Saúde com grande procura

Na área da saúde como um todo, os destaques foram os médicos especializados. Nenhuma surpresa aí, por conta da grande demanda de pessoas doentes nos pronto-socorros e hospitais por conta da pandemia. Profissionais médicos do sexo feminino se destacaram, e foram 72% dos contratados ano passado. Enfermeiros para terapia intensiva (UTIs) tiveram um crescimento recorde de 820%, mesmo que essas posições tenham sido fechadas com enfermeiros generalistas.

Farmacêuticos e pesquisadores também foram muito procurados (73% do sexo feminino).

E não apenas profissionais médicos, enfermeiros e farmacêuticos estiveram em alta. Pessoas para a atendimento em hospitais, clínicas e consultórios, e balconistas de farmácias foram bem requisitados. E ainda, psicólogos, psicoterapeutas e outros especialistas em saúde mental.

Tecnologia em alta

O segmento de tecnologia foi outro bastante aquecido e se manterá assim, até por conta da demanda de trabalho home office, que necessita de suporte tecnológico, e compras online, que foram as grandes alternativas ao comércio presencial, até em função do perigo de contágio nos comércios e nas ruas. Alguns cargos: engenheiros de software, desenvolvedores, consultor de design de produto, especialistas em e-commerce, autônomos para produção gerenciamento de conteúdo e plataformas digitais, gente com prática em marketing digital, em Search Engine Optimizacion (SEO), produtor de conteúdo e redator.

Como também profissões criativas envolvendo arte, operação de programas de ilustração, design gráfico, editoração e imagem. E ainda os analistas de dados de métricas do mundo digital.

Sem deixar de citar atividades de atendimento ao cliente e que envolvem telemarketing ou peculiaridades do varejo e serviços. Exemplos: vendas, merchandising, marketing, caixas, recepcionistas, serviços bancários e finanças.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Vagas
Seguir
Siga a página Negócios
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!